18 de abr de 2007

Rinoceronte




Numa das mísulas de uma das guaritas encontramos um pormenor fantástico, um rinoceronte, a primeira escultura feita na Europa com tal animal. Terá sido inspirado naquele que foi oferecido pelo Rei de Cambaia e que D. Manuel enviara numa embaixada dirigida ao Papa Leão X, cuja entrada triunfante em Roma foi um espanto para a Europa ao incluir, para além do rinoceronte, um elefante, uma onça e um cavalo persa...
O rinoceronte acabou por servir de modelo ao célebre artista A. Durer para a gravura que apresento na fotografia.

Um dado curioso prende-se com a utilização deste episódeo na realização da Expo 92, em Sevilha, e na Expo 98, em Lisboa, ambas relacionadas com a grande epopeia dos Descobrimentos. Portugal decide recriar a embaixada que D. Manuel envia ao Papa, na Expo 92, utilizando muitos jovens portugueses que por lá andaram uns dias (lembro-me de o meu cunhado ter ido nessa leva), e na Expo 98 ao final de cada dia quando os "olharapos" apareciam num cortejo, que tentava gerar a surpresa que era normal aquando da chegada de um navio ao porto de Lisboa quinhentista. Integrado neste desfile estava um rinoceronte monstruoso, tal como nos é retratado na gravura de Durer, que aparecia numa jaula transportada numa jangada vinda do rio Tejo. Ainda hoje me lembro da imagem e do som emitido pelo animal.
Posted by Picasa

7 comentários:

bettips disse...

Perdi o aniversário! Mas sabes que foi um acaso...e que te saboreio muitas vezes. Não só petiscos mas palavras e curiosiades que nos mostras. É boa esta troca, fico a conhecer melhor a tua geração. A apostar também na esperança dum futuro melhor enquanto o conhecimento for tratado como tu o tratas! Abração

al cardoso disse...

Que pena o rinoceronte da escultura ter o "corno" partido!
O meu amigo sempre atento aos promenores.

Um abraco do d'Algodres.

miguel8c disse...

Expo 92?!
fax-me lembrar umas coisas que o stor nos contou!
Fica só entre a turma!
Os seus filhos já conseguiram levanta-lo com dois dedos? (aula de hoje)

Tozé Franco disse...

Do desfile em Roma resultou o facgo de, em Itália, português significar vigarista.
Tudo isto porque o Papa determinou que os portugueses podiam entrar gratuitamente no local onde estava exposto o dito cujo.
Os italianos para entrar de borla diziam ser portugueses até a marosca ter sido descoberta.
Quer dizer, eles eram os vigaristas e nós é que ficámos com a fama.
Um abraço.

meg disse...

Os teus alunos, como acabo de confirmar, não se ficam pelas tuas aulas, lá..
Também aqui nos provam como és estimado. Feliz de ti!
Um abraço

exaurido disse...

Moura, Convido-te a visitar,a partilhar um novo espaço que nasceu... mas que irá crescer!

cumprimentos

Farinho disse...

Mais um pedaço de história para cultivar os incultos, como eu... por exemplo. lolol



Beijocas