14 de abr de 2007

Praia do "Rastrello"


O pormenor da misteriosa mão que vos mostrei encontra-se num mosteiro que foi mandado edificar, em finais do século XV, junto à Praia do "Rastrello" onde havia um porto de onde partiam e aportavam as armadas portuguesas. Existia nesse lugar uma pequena ermida que nos aparece referida em 1415, ano da tomada de Ceuta, invocada a Santa Maria de Belém. O "famoso" Infante D. Henrique mandou alargar o pequeno edifício e juntou-lhe um pequeno convento...entregue à Ordem de Cristo, de quem era administrador perpétuo (hoje apareceria logo nos jornais como uma jogada de favorecimento!!). Terá sido demolida em 1551.
Em frente a esta capela, D. Manuel mandou construir um mosteiro que entregou aos frades jerónimos...!!!??? Parece estranho já que o rei era mestre e governador da Ordem de Cristo...mas todos sabemos dos interesses do monarca pela família real de Espanha, nomeadamente pela filha dos Reis Católicos!! Esta ordem religiosa pouco conhecida em Portugal estava muito ligada à monarquia espanhola, sendo seus confessores e validos da sua Corte, seguia a Regra de Santo Agostinho e era admirada pela cultura e sobriedade dos seus frades.
Para cair no goto da familia real espanhola, D.Manuel I promete-lhes construir mais 12 mosteiros (um deles nas Berlengas). Parece que conseguiu o que desejava já que os seus três casamentos foram com duas filhas dos referidos reis católicos e uma neta (que estava "reservada" para o seu filho!).
O rei Venturoso como lhe chamam por sorte ascendera ao trono, por sorte recolhe os louros da descoberta do caminho marítimo para a Índia e do achamento do Brasil, torna-se o rei mais rico e invejado da Europa!

O Mosteiro que visitei já todos perceberam que foi o Real Mosteiro de Santa Maria de Bélem, para os amigos Mosteiro dos Jerónimos, que segundo o cronista jerónimo Frei Manuel de Castro...
..."Se Lixboa he a coroa do Reyno de Portugal, Bellem he a pedra mais preciosa desta coroa".
Posted by Picasa

4 comentários:

elsa nyny disse...

Olá Moura!!

Por aqui aprende-se sempre coisinhas novas!!!


Bom fim de semana pa ti!!

Beijinhos!

:)

Ana Ramon disse...

Uma belíssima aula de História. Por onde terei andado que nunca ouvi falar dos frades Jerónimos? Nem nunca me questionei sobre a origem do nome do Mosteiro dos Jerónimos? Estou sempre a aprender :))
Um beijinho

Tozé Franco disse...

Embora não seja sportinguista, S. Jerónimo é facil de identificar porque aparece sempre com um leão e, quase sempre, numa gruta.
Quanto ao D. MAnuel I, não lhe acho grande piada pois foi com ele que se iniciou a nossa decadência. Se tudo tivesse acontecido no reinado de D. João II, acho que outro galo teria cantado. O Homem, como lhe chamava Isabel, a Católica, sabia o que queria e a ele se deve tudo aquilo que o primo, D. Manuel, viria a beneficiar a desperdiçar. Há quem diga que foi a mulher de D. João II, irmã de D. Manuel que o envenenou, para o seu irmão ficar com a coroa, uma vez que o único filho legítimo de D. João II havia morrido em Almeirim , não com uma barrigada de Sopa de Pedra, mas sim porque caíu de um cavalo.

Nuno disse...

A História de Portugal é riquíssima em histórias! Com este texto e com o comentário do Tozé Franco fica-se a saber mais qualquer coisa acerca do imponente Mosteiro dos Jerónimos.

Um abraço,
Nuno.