31 de ago de 2006

Regras de ouro...

Tudo começa quando chegam as 4 gaiolas recheadas com os 4 touros para a tourada! Os sete "pastores" aprontam as camisolas brancas tradicionais e ajeitam o chapéu "mazantino" na cabeça. Outros tratam de embolarem o touro e amarram a corda ao pescoço do animal.
Ffsssssssssssss...PUUUUUUUUUMMMMMMMMMM...é largado um foguete!
É sinal que o touro está na rua!
Regras de ouro: nos extremos do local existem dois traços brancos pintados no chão, são os limites da tourada, e quando se ouve o foguete da largada do touro devemo-nos recolher em locais seguros (casas ou muros), deixando o arraial para os "toureiros" ou "capinhas" mais experientes nestas lides. É um espectáculo perigoso! O touro é um animal feroz e aqui é o Rei da Festa, sendo interessante serem muitos chamados por nome próprio e/ou o número que os imortaliza muitas das vezes. As pessoas conhecem os touros das 12 ganadarias existentes na Ilha chegando por vezes a ter grande admiração por alguns!!
Ffsssssssssss........Puuuuuuummmmmmmmm....
Ffsssssssssssss.....Puuuummmmmmmm!!
Dois foguetes...sinal que o touro foi recolhido! Altura para passear um pouco no arraial e beber algo fresco e petiscar algo delicioso!! Quando se ouvir o próximo foguete é melhor voltar aos locais seguros...
Posted by Picasa

"Touradas à corda"



Este tipo de tourada constitui uma festa única no Mundo, fazendo-se na Ilha Terceira, desde o século XVI.
O touro é embolado, é seguro por uma corda e lançado numa praça, rua, porto de pesca....!! Os mais destros e afoitos fazem a lide e correm para locais seguros...porque quando o touro investe é mesmo a sério! É uma sensação interessante começarmos a correr porque um touro corre para nós!!
Nas fotografias, aparecem uns senhores vestidos com camisa branca e chapéu preto, são os "pastores" que seguram a corda e que são verdadeiros "artistas" uma vez que moderam o comportamento ao Touro e/ou facilitam-lhe os movimentos de modo a que a animação seja "brava".
Estive em duas touradas!! Uma em São Mateus da Calheta, onde tirei as fotografias que exponho, onde se provoca sempre uns reconfortantes banhos ao touro, e outra no Lameirinho, onde tive a oportunidade de "viver" o outro lado da tourada que contarei num outro post.
 Posted by Picasa

29 de ago de 2006

Vitorino Nemésio



Vitorino Nemésio foi um dos grandes vultos da literatura portuguesa do século XX. Nasceu em Santa Cruz, em 1901, na casa que se encontra na 2ª fotografia. Professor catedrático, ensaísta, romancista e poeta, teve um programa durante muito tempo na RTP que ficou para a história, "Se bem me lembro". Em termos de obras destacam-se Varanda de Pilatos, Mau Tempo no Canal, Exilados e Paço do Milhafre.
 Posted by Picasa

28 de ago de 2006

Igreja de São Sebastião



Um dos templos mais antigos da Terceira localiza-se em São Sebastião, tendo sido edificado em finais do século XIV. Possui um belo portal ogivala, com quatro arquivoltas e duas portas laterais, também ao estilo gótico.
A capela-mor foi reconstruída no século XVI e, conforme se vê na fotografia, apresenta uma abóbada de caixotão em pedra basáltica, em estilo renascentista. Mas são as pinturas a fresco do século XVI que me cativaram mais!! Na faculdade, o meu primeiro trabalho de investigação foi sobre umas pinturas a fresco de uma igreja situada numa povoação de nome Ega (perto de Condeixa-a-Nova/Coimbra). Nessa altura sensibilizei-me muito para este tipo de arte que dada a sua fragilidade acaba por ser muito rara. Aqui temos frescos, diria que bem "fresquinhos", do século XVI, representando a aparição de Jesus a Madalena, São Martinho, Santa Bárbara, São Joaquim e Santa Ana num dos lados e o Juízo Final e São Miguel Arcanjo no outro. Uma delícia à vista!
 Posted by Picasa

27 de ago de 2006

26 de ago de 2006

Doce de... VINAGRE!!

Quem diria que o amargo VINAGRE podia fazer um doce de se lhe tirar o chapéu! O povo diz que o que é doce nunca amargou! Eu com este doce digo o que amargou pode vir a dar um bom doce!
Quem desejar experimentar e provar : http://www.gastronomias.com/doces/doce0106.htm ou http://www.gastronomias.com/doces/doce1088.htm
 Posted by Picasa

25 de ago de 2006

Que post mais estranho!



Que falta de nexo entre estas três fotografias!? O clima deve ter alterado o "arqueologo-Moura" para colocar num post fotos que aparentemente em nada se relacionam!
Passo a explicar... uma leitora assídua pediu-me para colocar um post com vacas! Esforçando-me para dar uma certa lógica aos meus posts sobre a Terceira, o pedido não parecia encaixar no seguimento que estava a dar à zona da Praia da Vitória, mas dada a consideração que tenho pela veterana do Clube de Arqueologia...acabei por fazer um exercício:
1ª foto - "Arqueologo-Moura" ao passar por uma baía caiu na tentação de mandar um mergulho, apesar de ser o único metido no mar (já passava das 19h...), que soube às mil maravilhas! Já falei da agradável temperatura da água, na casa dos 23/24 graus, e ainda por cima como só nado com óculos foi possível ver muitas espécies de peixinhos (o que por vezes me assusta, já que estou sózinho, e não sei quais as intenções deles!). Mais tarde, percebi que onde tinha estado se denomina a Baía da Salga!
2ª foto - Tourada à corda em S. Mateus da Calheta. É impressionante a paixão que os terceirenses sentem pelos touros, dando-lhes por vezes nomes próprios, e pela manutenção de uma tradição única no mundo inteiro - a Tourada à Corda!
Estive em duas touradas destas e fiquei também com um pouco de aficcion pelo espectáculo que não fere o touro e fomenta o convívio entre todos os que assistem, pelos "comes e bebes", pela conversa, pela vontade de correr quando o touro olha para nós...
3ª foto - As vacas parecem telecomandadas na Terceira! Andam nas estradas como se tivessem tirado o código e não precisam de ninguém para as orientar entre os pastos! Fazem-no desde muito novas e são estimadas por todos os habitantes! Existem 5 vacas por habitante... como a Terceira tem cerca de 60 mil pessoas...temos 300 mil vacas! É o suporte da economia terceirense!
Bonito serviço... Baía da Salga...touros...vacas!!??
História : 25 de Julho de 1581 - Batalha da Baía da Salga

Já vimos nos posts sobre a Praia da Vitória que os terceirenses apoiavam D. António, Prior do Crato, não aceitando D. Filipe II. Neste sentido os espanhóis dirigem-se pata a Terceira com 10 navios. Bombardeam Angra no dia 5 de Julho e sentiram-se atraídos pela Baía da Salga para desembarcar... o que fizeram no dia 25! Portugueses e espanhóis degladiaram-se neste local, até que um frade agostinho teve a ideia de dirigir o gado bovino contra as forças invasoras!!
Imaginem...mais de 1000 bois, vacas e provavelmente touros...a correr em direcção aos nuestros hermanos, que aterrorizados correram para o mar por entre cornadas e tiros!! Não será necessário dizer quem ganhou!
Posted by Picasa

24 de ago de 2006

Praia da Vitória?


Em dois momentos históricos distintos esta localidade, a que hoje se chama de Praia da Vitória, teve um papel preponderante.
1º momento / século XVI - União Ibérica - sabemos que a Ilha Terceira não aceitou bem a União das coroas portuguesa e espanhola, recusando obedecer aos filipes! A demonstrar este sentimento trava-se, perto da vila, a Batalha da Salga (1581), e no ano seguinte desembarca D. António, Prior do Crato, um dos pretendentes ao trono após a crise de sucessão, e é aclamado rei pelas populações da Terceira!!
2º momento / século XIX - Guerra Civil, entre absolutistas e liberais - em 1828, D. Miguel esqueceu-se do que tinha prometido ao seu irmão D. Pedro, Imperador do Brasil, e começa a governar Portugal, de forma absolutista... o povo da Terceira não gostou e não aceitou este facto! De Portugal sai uma armada para fazer frente aos terceirenses e no dia 11 de Agosto de 1829... a poderosa armada miguelista é derrotada nesta baía!!
Em 1837, é-lhe dado o título de Praia da VitóriaPosted by Picasa

Praia da Vitória


Saindo um pouco do roteiro espeleológico e regressando à superfície, aconselho uns bons mergulhos na Praia da Vitória. Dentro daquela lógica que temos de praia cá no "contenente", com areia, só temos para além desta uma "micro-praia" em Angra do Heroismo.
De realçar que no início do povoamento foi capital da ilha esta mesma Praia da Vitória, uma vez que residia nela Jácome de Bruges (capitão-donatário), recebendo foral de vila em 1480.
 Posted by Picasa

23 de ago de 2006

Com 90% de humidade...


... sabe bem uma cerveja regional... Melo Abreu!
 Posted by Picasa

Furnas de Enxofre...


...mais um sinal que nos chega do interior da terra!! No silêncio de uma paisagem que sabemos ter origem vulcânica é chegada a altura de cheirar e ouvir um fervilhar bem profundo da terra que pisamos. Na Ilha de S. Miguel é famoso o cozido que é feito nas furnas, em cerca de 4 horas, mas o cozido que é feito na Terceira não lhe fica a dever nada...só mesmo as 7 horas que necessita, uma vez que o calor é inferior! Referir que na Terceira não está explorado para fins turisticos esta preciosidade...segundo me referiram, as pessoas levam uma enchada, com a qual fazem uma abertura na terra, e colocam numa panela por camadas as batatas, couves e cenouras, carne e os enchidos a cobrirem a obra de arte! Não se coloca sal, nem água...e sete horas depois temos meia panela com água e um sabor apetitoso elaborado pela lenta cozedura! Fiquei com pena de não provar... mas só de pensar fico com água na boca!
 Posted by Picasa

Gruta do Natal



Continuando ligado ao roteiro espeleológico da Ilha Terceira... convido a uma visita ao interior da Gruta do Natal, junto à Lagoa do Negro, inicialmente designada pela Galeria Nova, e posteriormente, Gruta do Cavalo, hoje é conhecida por Gruta do Natal, pelo facto de se celebrar no dia 25 de Dezembro, no interior desta gruta, uma missa de Natal.
Trata-se de um tubo de lava com cerca de 700 metros... e com várias ramificações!! É obrigatório o uso de capacete e se no início não percebemos muito bem...com o desenrolar da visita, e principalmente nos locais que apresentam a indicação - para os mais aventureiros - por onde fiz algumas incursões...percebe-se a razão de ser de tal apetrecho na nossa cabeça!!
Possui diferentes tipos de lava, estalafites e balcões laterais... e mais uma vez sentimos que estamos em terras de actividade vulcânica!!
 Posted by Picasa

Algar do Carvão




É um dado adquirido por todos nós que todo o arquipélago dos Açores é de origem vulcânica. Esta actividade fez nascer as ilhas e modelou-as em formas irregulares e impressionantes. A Terceira é das que apresenta um património natural subterrâneo digno de ser visto...
Para começar esta visita às "entranhas da terra" recomendo o Algar do Carvão, um dos ex-libris desta ilha e a única cavidade vulcânica que é possível visitar no mundo.
O Algar do Carvão teve a sua origem durante uma erupção vulcânica. Nessa erupção a lava, depois de sair pela chaminé, sofreu uma drenagem interior para a câmara. Por esse motivo, as paredes e tectos, ainda fluídos quando da redução da lava, apresentam escorrências e formação de estalactites de lava.
Esteve em actividade há cerca de 1700 a 2100 anos BP (before present) e anteriormente há 3200 anos BP...
É uma sensação única descer até cerca de 100 metros de profundidade... e perceber o que por ali se passou em tempos!!!
Na área envolvente existe uma vegetação natural de tipo floresta húmida macaronésica e zonas de turfeiras!
 Posted by Picasa

22 de ago de 2006

São uns Estranhos e Simpáticos Loucos !


Vivem em nove belas Ilhas no
meio do Oceano Atlântico.
Dizem ser o centro do Mundo, os últimos
picos da Atlântida - O Continente Perdido,
a terra de Neptuno.
Falam de forma diferente.
Cozinham a comida em buracos
na terra, com o calor dos vulcões.
Fazem jogos com touros e perdem
quase sempre.
Nadam com golfinhos.
Mergulham com baleias que antes caçavam
em pequenos barcos e depois
gravam-lhe os dentes.
Há 500 anos que resistem a tremores de terra,
a tempestades com ventos de 250 Km por hora,
a ondas com 20 metros.
Pescam os maiores peixes do Mundo
-espadartes e atuns.
Dividem os terrenos com flores,
principalmente hortênsias.
Criam vacas e chamam-nas
pelo nome próprio.
Comem comida temperada com especiarias
vindas das Índias, Áfricas e Américas.
Festejam o "Espirito Santo" que
dizem ser o seu "Senhor".
Usam uma ave - Milhafre - como seu
símbolo mas chamam-se
AÇORIANOS
Texto: José Henrique Azevedo
Foto: Carlos Moura (para variar...) instalado no "Beira-Mar" com o Monte Brasil...
... mesmo em frente
Posted by Picasa

21 de ago de 2006

Mas que "Beira-Mar"!




Logo no primeiro dia foi-me sugerido um local para almoçar que não tenho problemas em classificar de DIVINAL!
Localização: S. Mateus da Calheta
Nome do "santuário": Beira-Mar

Mesmo junto a um pequeno porto de pesca impressiona pela quantidade/variedade/qualidade de peixe que oferece...e depois cozinhado de forma exemplar, sob orientação do Sr. Fernando Silva.
Adorei comer cracas (aconselho uma breve leitura em http://pt.wikipedia.org/wiki/Craca), lapas, espetada de cherne com camarão, chicharro frito... e tendo como cenário o mar e o Monte Brasil! Posted by Picasa

600 quilómetros...


...feitos em seis dias...numa ilha que tem de comprimento máximo 29 Km e de largura 17,5 Km...é obra! E não estou a contar com os muitos que foram feitos a pé..!

Uma semana em cheio, recheada de saberes e belos sabores, que irei compartilhar com todos aqueles que por aqui passam! Fica desde já uma nota, vale a pena passar uma semana na Ilha Terceira...e saiu reforçada a minha ideia de que os meus próximos anos de férias de Agosto, serão passados nos AÇORES! Já lá vão duas ilhas passadas a "pente fino", Santa Maria e Terceira, e faltam sete ainda... com a certeza que serão "devoradas" por mim!! Posted by Picasa