30 de abr de 2007

Aconteceu em 1506...



Acabei de comprar um interessante livro sobre um acontecimento perpetrado em Lisboa, a 19 de Abril de 1506, que se traduziu num massacre feito a vários milhares de judeus. Os autores Susana Bastos Mateus e Paulo Mendes Pinto procuram responder a uma questão simples:
Porquê e como foi possível uma matança de cerca de 4000 cristãos-novos, no dia 19 de Abril de 1506?

Esta efeméride acabou por dar o mote a esta obra que nos faz reflectir sobre esta mancha na nossa História que tratou de fazer esquecer um fenómeno, matar judeus, que era significativamente normal nos séculos XIV e XV. Séculos ligados a um brilhantismo ibérico ligado às descobertas e ao dar novos mundos ao mundo...e a um édito de Expulsão dos Judeus de Espanha, em 1492, e um Édito de Expulsão dos Judeus de Portugal, em 1496!
O livro acaba por nos mostrar também a antiguidade da presença judaica na Ibéria, a Inquisição Espanhola, a vinda dos judeus de Espanha, a conversão forçada, a visão do populus, um conjunto de fontes da época(dos quais destaco os éditos referidos na integra) e textos judaicos. A investigação enquadra-se nas actividades que os autores levam a cabo para a Cátedra de Estudos Sefarditas «Alberto Benveniste» da Universidade de Lisboa.

A este propósito faço questão de recordar o aspecto que mais me marcou no pontificado de João Paulo II, que para a maioria das pessoas passou despercebido deste Papa viajante, tido uns anos antes de morrer quando reconhece e pede perdão aos judeus de todo o mundo pelas atrocidades cometidas contra eles pela própria Igreja Católica Apostólica Romana. A Inquisição acabou por ser um braço armado contra os judeus na Ibéria e a quem muito se deve hoje o nosso atraso em várias matérias.


Este post acaba por ser uma prenda virtual ao meu amigo AlCardoso que é um estudioso nestas matérias relacionadas com o judaismo e História de Portugal. A obra foi lançada muito recentemente pela "Aletheia- Editores".

Curiosamente verifico que este é o meu post nº 400...

Posted by Picasa

29 de abr de 2007

Guerra Fria...


Num post que escrevi sobre a Perestroika e a década de 80, onde dava conta de importantes mutações como o desmenbramento da URSS e a queda do Muro de Berlim, afirmava que no Santuário de Fátima existia uma "fatia" desse muro que acabou por ser um símbolo da Guerra Fria na Europa e no Mundo.
Este muro que tentou acabar com um processo de "deserções" que eram frequentes, uma vez que Berlim era uma ilha capitalista que atraia a passagem para o Ocidente, o que começava a afectar a economia da RDA e o prestígio do mundo Socialista. É neste contexto que Kruchtchev, em 1958, intimida os ocidentais a abandonar a cidade. Este afã em manter intocada a hegemonia comunista na Europa Oriental leva a que se construa, em 1961, o célebre Muro de Berlim que, ao longo de dezenas de quilómetros envolve toda a área de Berlim Ocidental.
Na década de 80 assistimos estupefactos ao derrube deste Muro que parecia imortal para muitos crentes em ideologias que acabaram por se mostrar inadequadas às mutações efectuadas ao longo da década de 70... e que foram entendidas por Mikhail Gorbatchov e depois por Boris Ieltsin, que faleceu esta semana. Apesar de Ieltsin ser mais conhecido pela sua paixão pela vodka e problemas cardíacos, acaba por ser quem mais contribuiu para o fim da União Soviética. Foi ele que impediu um golpe da extrema-direita em Moscovo, em 1991, quando Gorbatchov se encontrava de férias. Lembro-me da imagem que nos mostrava Ieltsin em cima de um tanque na escadaria do parlamento a apelar ao novo movimento democrático que varria o país. Dias depois o Partido Comunista era ilegalizado e Boris Ieltsin empossado solenemente.

Esta semana Vladimir Putin acaba por ressuscitar o fantasma da Guerra Fria...ao surgir com ameaças de abandono da participação da Rússia mo Tratado sobre Armas Convencionais na Europa. Tudo em resposta aos EUA por terem demonstrado interesse em instalar um escudo antimíssil na República Checa e Polónia (duas regiões ex-URSS !!! ).
Será que eles pensam que o aquecimento global precisa de uma Guerra Fria para bem da humanidade ? Faz-me lembrar um colega de turma, quando eu frequentava o 9º ano de escolaridade, que respondia num teste de História que a Guerra Fria se tinha travado no Pólo Norte, entre formigas e libelinhas tendo ganho as primeiras em virtude de terem uma boa anti-aérea!!!!
Haverá diferenças entre estas duas visões ? ou será que ambas demonstram um desconhecimento da História do Século XX?
Posted by Picasa

28 de abr de 2007

Judeus por Terras de Belmonte


Um dos objectivos do clube ao visitar Belmonte foi aprofundar um pouco mais os conhecimentos sobre a cultura judaica, que acaba por estar profundamente ligada a esta terra, percorrendo deste modo a judiaria, o Museu Judaico e a Sinagoga Beteliahou.
A presença judaica na região parece estar registada desde o século XIII, dada a existência de uma sinagoga com uma inscrição de 1296. É provável que o número de judeus tenha aumentado com a expulsão a que foram votados pelos Reis Católicos de Espanha, em 1492, até que em 1496, D. Manuel I decreta a conversão forçada ao catolicismo, seguindo-se um período de perseguições e a criação de uma comunidade cripto-judaica que sobreviveu ao longo de séculos, mantendo rituais e tradições. Em 1989 é reconhecida oficialmente a comunidade judaica de Belmonte, sendo actualmente uma das poucas comunidades com Rabi. Em 1997 é inaugurado o templo hebraico Betaliahou (filho de Elias), na zona da judiaria.
Mais recentemente foi constituído o Museu Judaico que pretende constituir uma unidade de documentação, investigação, exposição e divulgação sobre o papel desempenhado pela comunidade judaica no local no quadro da História e da cultura do Judaísmo. Vale a pena visitar para ter uma percepção dos seus símbolos, da atribulada época em que foram vítimas da Inquisição através de um Memorial das Vítimas da Inquisição, pela sua loja onde se podem comprar produtos Koscher entre outros relacionados com a singularidade desta cultura.
Depois de termos sido muito bem recebidos no Museu Judaico, onde até não faltou a partilha do Pão Ázimo e uma afável conversa com o funcionário dotado de um interessante blog Shaare Orah (http://www.shaareorah.blogspot.com/) , ficámos algo decepcionados com a atitude de nos querem cobrar uma entrada na Sinagoga... O grupo achou deplorável aquele percorrer de olhos pelo grupo que terminou com "quantos são ao todo? hummmm... acho que vocês podem dar 1 euro cada um para ver a Sinagoga"!!!! Graças a Deus visitámos de forma gratuita a Sinagoga de Tomar com um judeu que nos contagiou com a sua simpatia e sabedoria. Se fosse um espaço museológico como o que anteriormente tinhamos visto e pago de bom grado...agora um templo de oração!!
Posted by Picasa

26 de abr de 2007

Um dia puxadote...


O Clube de Arqueologia teve uma maneira muito sui generis de comemorar o 25 de Abril dado que aproveitou para fazer uma bela passeata.
Um dos objectivos era homenagear o comentador amigo AlCardoso, o que nos fez ter como primeira paragem do dia Fornos de Algodres e terminassemos por terras de Belmonte com toda a sua forte ligação ao culto judaico. Pelo meio ficou a exploração da bela povoação de Sortelha e Sabugal.
A casa chegaram bem cansaditos... o Telmo Martins , a Soraia Martins e a Catarina Dinis que estão em jeito de despedida dado encontrarem-se no 12º ano, a veterana Alexandra que já leva 6 anos disto, a Inês Silva, o Leonardo Cascão, a Catarina Antunes, a Rita Mendes, e eu com duas garrafas diferentes de vinho Kosher de produção nacional que desconhecia (em Dezembro dava conta de uma no blog que costuma aparecer nos hipermercados), uma de azeite Kosher e um Kippa na cabeça. Todos provámos o pão ázimo que caracteriza a festa judaica nesta época do ano.
Agora é esperar pelos posts desta aventura que ficará nos anais do clube de Arqueologia.
Posted by Picasa

25 de abr de 2007

O rosto da liberdade


Ele ia de Santarém
a caminho de Lisboa
não sabia se ganhava
não sabia se perdia.
Ele ia de Santarém
para jogar a sua sorte
a caminho de Lisboa
em marcha de vida ou morte.
E dentro dele uma voz
todo o tempo lhe dizia:
Levar a carta a Garcia.

Ele ia de Santarém
todo de negro vestido
como um cavaleiro antigo
em cima do tank verde
com o seu elmo e sua lança
ei-lo que avança e avança
ninguém o pode deter.

Ele ia de Santarém
para vencer ou morrer.

E em toda a estrada o ruído
da marcha do Capitão.
Eram lagartas rangendo
e mil cavalos correndo
contra o tempo sem sentido.
E aquela voz que dizia:
Levar a carta a Garcia.

Era um caveleiro andante
no peito do Capitão.
E o pulsar do coração
de quem já tomou partido.
Ele ia de Santarém
todo de negro vestido.

Manuel Alegre
Posted by Picasa

24 de abr de 2007

Salgueiro Maia


Simpatizo com esta figura que ajudou a conquistar com risco da sua prórpia vida a Liberdade para todo um povo. Quem não se lembra das imagens do filme "Capitães de Abril" sobre o assalto a Lisboa comandado por Salgueiro Maia, nomeadamente quando avança com uma arma numa das mãos e megafone na outra sobre as tropas resistentes ao regime ditatorial, acabando por desse modo dar voz de prisão ao regime que durante cerca de meio século controlou, censurou e exerceu com mão de ferro um poder violador das liberdades mais elementares do mais comum dos mortais.
Um dos aspectos que me seduz neste Homem prende-se com a sua simplicidade e recusa de protagonismo. Outros por menos fartam-se de vangloriar sobre os seus préstimos para uma conquista de liberdade...e se calhar por isso enveredaram pela carreira política e chegaram bem longe. Salgueiro Maia foi sempre coerente acabando por ser ostracizado, num mundo que não é compatível com valores dessa envergadura, tanto na esfera política como militar por aqueles que nunca ousaram ter a coragem demonstrada pelo "capitão que venceu a morte".

O Homem que costumava referir que existiam "os Estados Socialistas, os Estados Capitalistas e ainda...o Estado a que chegámos!" é colhido pela morte aos 47 anos e encontra-se sepultado na sua terra natal, Castelo de Vide.
A estátua que apresento nesta fotografia acaba por ser um "ex-libris" de Santarém e foi tirada na última saída do Clube de Arqueologia.
Posted by Picasa

23 de abr de 2007

Percebes...Peniche


Muitos vão a Peniche e pouco percebem da terra que acaba por estar ligada à Revolução que comemoramos daqui a pouco tempo. Outros percebem o verdadeiro significado e simbolismo daquele forte que foi, durante um largo período, prisão politica onde se pretendia calar as vozes discordantes do regime. Nos dias que correm torna-se premente explicar aos jovens o verdadeiro significado de Abril. Sem sentidos de Direita e Esquerda...que cada vez mais soam sem graça alguma. É altura de clarificar os jovens sobre as vantagens da democracia para deste modo os cativar, sem histórias de papões de Direita e revolucionários imaculados de Esquerda. A Esquerda que foi vitimizada durante o Estado Novo, e refiro-me ao grande baluarte da oposição centrado no Partido Comunista, não pode querer fazer o mesmo à Direita, caindo deste modo no lema "faz o que eu digo, mas não faças o que eu faço".
É interessante abordar estas temáticas com os alunos do 12º ano que beneficiam da disciplina de História, acabando por ser sortudos dado que para os outros alunos, com um pouco de sorte a última vez que falaram do 25 de Abril foi no 6º ano de escolaridade, dada a impossibilidade de lá chegar no 9º ano devido à extensão dos programas. Muitos dos alunos mostram-se surpresos pelo desenrolar dos acontecimentos bombásticos e bem quentes do após-25 de Abril. Nunca tinham ouvido falar disso! E verdade seja dita, quase ninguém fala do PREC e do extremismo que se viveu no pós-revolução.

Nestes meus poucos anos de ensino proporcionei por 3 vezes aos meus alunos um encontro com o "camarada" Dias Lourenço, célebre pela fuga hollywoodesca da prisão, tendo sido o último no local de onde se efectuou a referida escapadela, ou seja na Prisão/Fortaleza de Peniche. Os dois primeiros encontros foram no colégio, onde gentilmente se prestou a vir falar aos alunos sobre a vida na clandestinidade e as atrocidades cometidas pelo regime do Estado Novo. Para além do diálogo com os alunos no auditório prestou-se a acompanhar-me no meu dia de aulas pelas turmas que tinha naquele dia.
É com acções pedagógicas centradas em atitudes que demonstram valores de tolerância, liberdade e equilíbrio que se pode pensar cativar os jovens para uma participação activa na vida pública, com uma consciência plena de uma cidadania responsável. Criar a ideia que o Estado somos todos nós e não os deixar motivar ou desmotivar pelos políticos que tentam inflamar as opiniões com jogos de poder entre Esquerda e Direita. Acabam por cair no ridículo e incitar os jovens a entrar em esquemas pouco dignificantes para um regime que se quer democrático, como o são os grupos extremistas.
Ainda esta semana ao ouvir o discurso inflamado do Dr. Mário Soares que acusa a Direita de estar a maquinar as trapalhadas da licenciatura do Sr. Sócrates, fazendo crer que pelos vistos os jornais, as televisões e pessoas como António Barreto, entre outros intelectuais de relevo...são todos uns papões de direita, pensei na urgência de uma renovação profunda nesta geração de políticos que faz das batalhas de Esquerda-Direita os seus cavalos de batalha.

Eu no Sábado levei os meus filhos a Peniche e tentei explicar-lhes de forma simples e objectiva o que foi a Prisão Política...e no fim acabei a comer uns deliciosos percebes.

O que é preciso é perceber que os percebes de Peniche estavam deliciosos... assim como o significado daquela fortaleza que estava diante do nosso olhar.

Posted by Picasa

22 de abr de 2007

Igreja de S. Gião




Ontem ao dirigir-me para a zona de Peniche acabei por concretizar um desejo antigo, ainda dos tempos da faculdade, ali para os lados da Nazaré, mais concretamente no extremo norte da freguesia de Famalicão depois de percorridos alguns quilómetros numa estrada mista de terra com areia...na qual parecia por vezes que o carro entrava totalmente dentro dos buracos, a fazer lembrar quem sabe uma viagem de barco. Ao chegar ao local fiquei algo desapontado, já que depois de seguir uma indicação dada por uma placa e dotado de uma grande dose de coragem para não voltar para trás dada a qualidade do caminho, dado o monumento se encontrar fechado por uma cerca com arame farpado e um portão com grande cadeado... Dadas as minhas "credenciais" de "arqueólogo" e com a missiva de fazer uma reportagem para os meus amigos "blogosféricos" optei por me fazer entrar por uma nesga do portão (comprovei que por onde passa a cabeça passa o corpo).

Este templo descoberto nos anos 60 tem sido catalogado como visigótico, um dos mais antigos do Ocidente e o primeiro de todo o mundo a fazer a separação entre o clero e o povo. Ultimamente as leituras feitas pela Arqueologia da Arquitectura apontam para uma igreja que segue as características das igrejas asturianas. Seria deste modo "um posto avançado na progressão da influência galaico-asturiana" que pode ter reutilizado material anterior, presumivelmente visigótico. Os últimos estudos apostam mais no afastamento do universo visigótico e aproximam-no extraordinariamente do restrito número de templos asturianos, conforme se comprova pela existência de tribuna ocidental e câmara supra-absidal. A juntar a estas evidências, há que aprofundar o estudo estilístico dos capitéis da eikonosthasis, cujo vegetalismo e organização em andares aponta também, ainda que com tratamento menos saliente do campo escultórico, para os característicos capitéis vegetalistas asturianos.

Em 1986 é classificado como Monumento Nacional e no presente parece mais um dos muitos destroços visíveis do nosso património. Quando foi notícia no final da década de 80 este importante temploe estava transformado num curral de gado, o que já nos aparece referido em documentos de 1702...

Esta minha visita acabou por se transformar numa aventura interessante, não só marcada pela entrada no recinto, como no andar sobre estruturas de madeira completamente podres. Não fosse o meu reduzido peso...e lá tinha ficado o "arqueólogo-Moura" num buraco qualquer. A sorte é que levava como companheira de aventuras a minha filha Mafalda que já começa a entrar no espírito...
Posted by Picasa

20 de abr de 2007

Torre à vista...


"A Torre de Belém é o mais peregrino entre os mais belos monumentos da nossa arquitectura", diz-nos Ramalho Ortigão com alguma razão dada a originalidade deste edifício que acaba por ser um símbolo do poder real, concebido por Francisco de Arruda, uma vez que dali se controlava o que vinha dos negócios das possessões ultramarinas e cobrava as taxas das armadas que fundeavam no Tejo, obrigando os navios a acostar à Torre, na altura uma ilha a mais de cem metros da margem... não descurando nunca a defesa, fazendo para isso fogo cruzado com a Torre Velha, do outro lado do rio a da qual existe muito pouco.
D. Manuel decide arrancar com as obras da "torre em Restrelo Velho" que acaba por ter a forma de um galeão, a fazer lembrar da "Grande Nau" que efectivamente se encarregava de fazer fogo cruzado até a obra terminar.
A obra decorreu entre 1515 e 1521 e aproveitou um sólido afloramento de rocha basáltica, sendo nomeado o seu primeiro governador-geral, em 1521, Gaspar de Paiva que acaba por consagrar a Torre a S. Vicente, padroeiro da capital, cujo culto remontava aos primórdios da nacionalidade.
É curioso verificar que a maior parte das pessoa julga ser Santo António o padroeiro da cidade...
Posted by Picasa

18 de abr de 2007

Rinoceronte




Numa das mísulas de uma das guaritas encontramos um pormenor fantástico, um rinoceronte, a primeira escultura feita na Europa com tal animal. Terá sido inspirado naquele que foi oferecido pelo Rei de Cambaia e que D. Manuel enviara numa embaixada dirigida ao Papa Leão X, cuja entrada triunfante em Roma foi um espanto para a Europa ao incluir, para além do rinoceronte, um elefante, uma onça e um cavalo persa...
O rinoceronte acabou por servir de modelo ao célebre artista A. Durer para a gravura que apresento na fotografia.

Um dado curioso prende-se com a utilização deste episódeo na realização da Expo 92, em Sevilha, e na Expo 98, em Lisboa, ambas relacionadas com a grande epopeia dos Descobrimentos. Portugal decide recriar a embaixada que D. Manuel envia ao Papa, na Expo 92, utilizando muitos jovens portugueses que por lá andaram uns dias (lembro-me de o meu cunhado ter ido nessa leva), e na Expo 98 ao final de cada dia quando os "olharapos" apareciam num cortejo, que tentava gerar a surpresa que era normal aquando da chegada de um navio ao porto de Lisboa quinhentista. Integrado neste desfile estava um rinoceronte monstruoso, tal como nos é retratado na gravura de Durer, que aparecia numa jaula transportada numa jangada vinda do rio Tejo. Ainda hoje me lembro da imagem e do som emitido pelo animal.
Posted by Picasa

16 de abr de 2007

Hojé é dia de...



...festa
cantam as nossas almas
pelo blog do "arqueólogo-Moura"
Uma salva de palmas!!

Faz hoje um aninho de vida e está aqui para durar numa altura em que parece que existe uma crise na blogosfera dadas as inúmeras desistências e inactividade por parte de grande parte dos blogs. E todos nós nas nossas viagens blogosféricas de quando em vez batemos com o nariz na porta de um ou outro blog. Os motivos evocados são quase sempre os mesmos...falta de tempo! Sou adepto de uma gestão correcta de tempo, o que nos obriga a definir prioridades, para que o tempo nos sirva e não sejamos nós comandados por ele.
Este blog acabou por amadurecer ao longo destes doze meses, começando por ser um fiél depositário das visitas do Clube de Arqueologia passou a divulgar o CAIC (Colégio da Imaculada Conceição), instituição na qual trabalho, algumas das actividades desenvolvidas no colégio, como também a partir de certa altura apostou numa espécie de guia de roteiros para fins de semana de evasão...com o "certificado de qualidade-Moura". Do tipo...recomendo porque experimentei e gostei! Para além da divulgação de património reconhecido pela grande maioria apostou-se naquele património menos conhecido que habitualmente não vem nos roteiros. Não nos podemos esquecer das sugestões gastronómicas que tanta indisposição gerou... por não ser possível provar online tão apetitosos petiscos, ou por atormentar os programas dietécticos que alguns certamente procuram seguir.

Mas todo este amadurecimento não teria sido possível sem as teias que se foram criando neste mundo cibernético que se traduziram em inúmeros comentários simpácticos, reconfortantes e motivadores que se mostraram verdadeiramente estimulantes para as referidas mutações e aperfeiçoamentos que foram observados pelas mais de 15 mil visitas aos cerca de 390 posts publicados neste primeiro ano de vida. Hoje posso orgulhar-me de ter um grupo de amigos muito interessante criados aqui na blogosfera.
Não me posso esquecer do papel que o autor do "Dispersamente"(curiosamente meu sogro) teve na minha entrada nesta realidade, assim como me enche de algum orgulho ter servido de padrinho a outros blogs que andam por essa blogosfera, desde colegas de trabalho como o autor do "Histórias e Sabores", como alunos que vão criando blogs sobre as mais variadas temáticas. A minha própria filhota já criou um blog para apresentar um trabalho de Àrea de Projecto...sobre "O mundo das raias".

Hoje decidi colocar um exemplar da famosa "Palha de Abrantes" como uma espécie de bolo de aniversário. Penso que dará para distribuir um fio de ovo por cada amigo blogosférico. Optei também por colocar uma fotografia do "misterioso arqueólogo-Moura"...que para alguns por aquilo que escreve sobre gastronomia deve ser um ser monstruoso com mais de 200 Kg!!! Afinal não chega aos 100 kg!! Penso que é importante dar a cara na blogosfera para que as ditas amizades virtuais criem laços reais que transmitam segurança num mundo em que por vezes se usam máscaras geradoras de desconfiança.

Obrigado a TODOS!
Posted by Picasa

15 de abr de 2007

Juntos na diferença



Ontem o CAIC foi ao futebol para ajudar a APPACDM (Associação portuguesa de pais e amigos do cidadão deficiente mental). O Núcleo das Escolas Católicas da Diocese de Coimbra já no ano passado tinha desenvolvido uma acção idêntica com o intuito de ajudar a Associação Acreditar.
Para ajudar a tarefa passava pela sensibilização por parte dos Directores de Turma aos alunos no sentido de contribuir com um modesto euro, para ver o jogo da Académica-Futebol Clube do Porto, que vai direitinho para a APPACDM. É estimulante aperceber-me como estamos a incutir nos nossos alunos o espírito de solidariedade, pois na minha Direcção de Turma apesar de apenas terem ido 18 alunos (em 27) todos fizeram questão de contribuir e alguns com mais do que era pedido. Alunos do 5º ano de escolaridade até ao 11º ano, já que o 12º estava para a Corunha, juntamente com professores, funcionários e encarregados de educação lá ocuparam um dos topos do Estádio Cidade de Coimbra.

Eu lá fui com o meu filhote ver o "nosso" F.C.Porto ganhar e sofrer... limpando o trauma da última vez que assistimos a um jogo dos Dragões, aqui em Leiria no gelo invernal e gélido resultado. Desta vez a temperatura mostrou-se bem mais amena e o resultado mais caliente.
Curiosamente na visita de estudo a Lisboa realizada na quinta-feira vi um pormenor que me chamou a atenção na Torre de Belém...um Dragão esculpido na pedra com o intuito de embelezar e manter o respeito a quem entra, na capital de Portugal, vindo do mar. Mais um pormenor...
Posted by Picasa

14 de abr de 2007

Praia do "Rastrello"


O pormenor da misteriosa mão que vos mostrei encontra-se num mosteiro que foi mandado edificar, em finais do século XV, junto à Praia do "Rastrello" onde havia um porto de onde partiam e aportavam as armadas portuguesas. Existia nesse lugar uma pequena ermida que nos aparece referida em 1415, ano da tomada de Ceuta, invocada a Santa Maria de Belém. O "famoso" Infante D. Henrique mandou alargar o pequeno edifício e juntou-lhe um pequeno convento...entregue à Ordem de Cristo, de quem era administrador perpétuo (hoje apareceria logo nos jornais como uma jogada de favorecimento!!). Terá sido demolida em 1551.
Em frente a esta capela, D. Manuel mandou construir um mosteiro que entregou aos frades jerónimos...!!!??? Parece estranho já que o rei era mestre e governador da Ordem de Cristo...mas todos sabemos dos interesses do monarca pela família real de Espanha, nomeadamente pela filha dos Reis Católicos!! Esta ordem religiosa pouco conhecida em Portugal estava muito ligada à monarquia espanhola, sendo seus confessores e validos da sua Corte, seguia a Regra de Santo Agostinho e era admirada pela cultura e sobriedade dos seus frades.
Para cair no goto da familia real espanhola, D.Manuel I promete-lhes construir mais 12 mosteiros (um deles nas Berlengas). Parece que conseguiu o que desejava já que os seus três casamentos foram com duas filhas dos referidos reis católicos e uma neta (que estava "reservada" para o seu filho!).
O rei Venturoso como lhe chamam por sorte ascendera ao trono, por sorte recolhe os louros da descoberta do caminho marítimo para a Índia e do achamento do Brasil, torna-se o rei mais rico e invejado da Europa!

O Mosteiro que visitei já todos perceberam que foi o Real Mosteiro de Santa Maria de Bélem, para os amigos Mosteiro dos Jerónimos, que segundo o cronista jerónimo Frei Manuel de Castro...
..."Se Lixboa he a coroa do Reyno de Portugal, Bellem he a pedra mais preciosa desta coroa".
Posted by Picasa

12 de abr de 2007

Pormenores


Hoje fui com com turmas do 7º e 8º anos para Lisboa com o intuito de ver a "Flauta Mágica", da parte da tarde.
Mas como é de manhã que se começa o dia...o 7º ano visitou dois monumentos que estão muito na berra em virtude das votações que para ai andam para escolher os "mais bonitos" monumentos portugueses...
Não acho a mínima piada a essas votações. Quem vota? Que conhecimento tem do edifício? Conhece todos para votar de forma mais justa? O que conhece de cada edifício? Será que vota no edifício da terra onde vive ou nasceu? Ou será que ainda não tenho idade e capacidade para entender estas coisas?
Nunca gostei dos títulos que muitas pessoas gostam de dar a edifícios, lugares, comidas, entre outras coisas...como sendo o mais belo, o melhor restaurante, o mais isto ou o mais aquilo. Nestas matérias prefiro relativizar um pouco e nunca absolutizar, se calhar porque tenho o privilégio de ter sido educado desde cedo com através de muitas viagens e sempre aprendi a ver o que há de diferente nos mais variados sítios.

Mas a propósito da visita de hoje...posso dizer que foi muito interessante uma vez que encontrei pormenores que nunca tinha visto nos monumentos que não eram novidade para mim. Ao elaborar um roteiro/guião para que os alunos se orientassem e dessa maneira tomem o gosto em visitar e dar significado ao que têm diante de si, aprendi bastante e fiquei sugestionado para encontrar os tais pormenores.
É com um deles que vos deixo hoje...
Uma mão escondida entre uma folhagem num pilar, entre muitos que o local tem, que é venerada pelos homens do mar, num culto popular de tradição secular e raízes misteriosas...

Ps- onde ficará? alguém já tinha visto este pormenor que achei delicioso?
Posted by Picasa

10 de abr de 2007

Que década...


Hoje, ao dar a aula no 12º ano dei por mim a recordar vivamente a década de 80 e a lembrar-me de factos que me tocaram bastante. Curiosamente vivia intensamente a Adolescência tal como os alunos que se encontravam diante de mim.

Estou agora a abordar temáticas na História que são do meu tempo, melhor dizendo do tempo em que as vivi de maneira a não me esquecer delas. Costumo dizer por brincadeira que sofri muito com o Salazarismo porque nasci en Dezembro de 1971...mas o certo é que as recordações dessa época são poucas ou nenhumas. Quanto aos anos 80 a "lembradura" já é outra e na altura já eu era curioso q.b. para me amedrontar com o perigo de uma guerra nuclear devido ao afrontamento bipolar que se vivia entre os E.U.A e a U.R.S.S..

Lembro-me de um filme The Day After, de 1983, no qual se demonstrava bem os efeitos de um rebentamento de uma ogiva nuclear...e eu a saber que existiam no Mundo da altura ogivas capazes de acabar com o próprio Mundo!!! No ano de 1985 o cantor Sting lançava uma música, intitulada The Russians, que nos fazia reflectir sobre a tensão permanente entre as duas grandes potências.
E em 1985 chegava ao poder na URSS um homem destinado a mudar a História: Mikhail Gorbatchov. As palavras que se ouvem mais na altura são Perestroika, que quer dizer reestruturação, e Glasnost, que significa transparência. No ano de 1987 sai em Novembro a 1ª edição, em Portugal...e em Dezembro já comprei a 7ª edição!!!
Que satisfação tive ao ver um encontro entre Ronald Reagen e Mikhail Gorbatchov para entre outros assuntos de ordem política assinarem um acordo de desarmamento.
Pouco tempo depois, mais precisamente em 1989 caia um dos simbolos da separação entre o comunismo e capitalismo, o Muro de Berlim. Para muitos portugueses é desconhecida a presença de uma parte deste muro no Santuário de Fátima a qual já fotografei mas acabei por perder na passagem da máquina para o computador. Em breve tenho de ir lá para fazer um novo registo para os meus arquivos.

Posted by Picasa

9 de abr de 2007

Balanço


Passadas duas etapas do ano escolar e em vésperas de entrar na última, é altura de fazer um balanço das actividades desenvolvidas ao mesmo tempo que se preparam os pormenores para que aquilo que se tem em mente para o 3º Período.

Esta reflexão acabou por ser a minha "companhia" no dia de hoje... até porque segundo a legislação os professores têm que elaborar um relatório das actividades por eles desenvolvidas a fim de que o seu desempenho seja avaliado. Uma vez que até final das aulas temos de elaborar o referido relatório e nessa altura a azáfama é grande, optei por antecipar parte do trabalho.

Quanto a Visitas de Estudo e pegando no calendário apercebi-me que a 4 de Outubro fui a Lisboa com o meu 12º ano visitar a Exposição“Os Grandes Mestres da Pintura”,no Museu Nacional de Arte Antiga, e a Sintra para ver a Quinta da Regaleira, a 23 de Novembro, fiz um baptismo de mergulho ao 8ºC, na Lourinhã, a 25 de Novembro levei o Clube de Arqueologia até Lamego, Peso da Régua e Vila Real, a 5 de Dezembro voltei a Lisboa com o 12º ano para visitar a Exposição do Amadeo de Souza-Cardoso, intitulada "Diálogo de Vanguardas" e ainda passámos no Espaço Memória dos Exílios , no Estoril, a 10 de Janeiro repeti a Exposição do Amadeo com os 10º e 11º anos e levei-os a assistir ao Plenário na Assembleia da República, a 24 de Janeiro levei os alunos que se destacaram no aproveitamento na minha Direcção de Turma a uma "visita misteriosa e secreta" às Buracas do Casmilo, tendo a 28 de Fevereiro levado os alunos que se destacaram na Direcção de Turma do meu colega do 8ºC, e para terminar levei o Clube de Arqueologia até ao Ribatejo, mais concretamente a Santarém, Alpiarça e Golegã, no passado dia 10 de Março.

Para o 3º Período encontro-me a preparar uma visita de estudo a Lisboa, com os 7º e 8º anos, para ver a Torre de Belém, o Mosteiro dos Jerónimos e a peça "A Flauta Mágica", para o dia 12 de Abril...
Depois apenas restará preparar uma saída para o Clube de Arqueologia, uma viagem-prémio para os alunos que se destacaram nas turmas B e C do oitavo ano, uma viagem às Berlengas que foi prometida à minha turma caso os resultados melhorassem do Natal até à Páscoa (e como melhoraram...), e um baptismo de mergulho a uma direcção de turma de um colega meu/vosso conhecido do Histórias e Sabores

Penso que não me esqueci de nada...

PS- a fotografia foi tirada na primeira viagem de mérito com a minha Direcção de Turma, junto à exsurgência do Anços. Amanhã estes alunos vão saber que mantiveram a média superior a quatro valores e que vão participar na viagem mistério do 3º Período, e a restante turma vai saber que o objectivo de melhorar o aproveitamento durante o 2º Período foi alcançado foi alcançado... o que nos levará a todos até às Berlengas. Adianto que no ano passado o objectivo foi igualmente atingido e realizou-se um baptismo de mergulho para a turma toda.
Posted by Picasa

8 de abr de 2007

Contemplar...


...saber ver e saborear as coisas é um pouco o meu lema de vida! Graças a Deus, estou bem certo disso.

Um Deus que é Luz que não se vê...mas faz ver. Algo que não é para ser visto, mas que tem força para iluminar tudo para que se possa ver em profundidade, no fundo ver com olhos de ver.
É triste não acreditar no que não se vê. É próprio dos olhos comuns como os que agora andam loucamente a ver se no local onde Jesus foi enterrado existem ossos...como que numa procura de provas para uma fracassada ressurreição!!

Não precisamos de provas científicas para que possamos acreditar na força de um simples olhar que transporta nele boa disposição e força ao mesmo tempo. Apenas quem crê e arrisca nos dias de hoje a crer é que pode ousar pensar que é possível um Mundo Melhor, onde as sementes da PAZ, AMOR, COMPREENSÃO,VIDA...darão fruto e tornem possível continuar com o sonho que Jesus teve, num mundo tal como o de hoje cheio de ditadores, injustiças e opressão.
Por isso sou um fã incondicional de Jesus Cristo e no potencial que a sua mensagem tem para transformar o que é menos bom em muito bom.

Graças a Deus, sou crente e vivo com sentido, convencido que somos todos bons.
Tudo isto é Páscoa.

Posted by Picasa

7 de abr de 2007

Alvor



Esta pequena povoação situada junto à Foz do Rio de Alvor, destacada zona húmida do barlavento algarvio que possui uma grande diversidade de habitats, foi tomada por El Rei D. Sancho I com a ajuda de uma armada de cruzados oriundos da Dinamarca e da Frísia. Este acontecimento mostrou-se vital para a conquista do Castelo de Silves.
É nesta localidade que falece o enérgico Rei D. João II, a 25 de Outubro de 1495, sendo por esse motivo promovida por el-rei D. Manuel a sede de concelho, estatuto que viria a perder no início da centúria de oitocentos.

Também foi neste local que Portugal assinou um acordo, a 15 de Janeiro de 1975, onde se comprometia a entregar o poder a Angola, estabelecendo a data da independência da ex-colónia para 11 de Novembro de 1975. Ficou conhecido para a História como o Acordo de Alvor.

A primeira fotografia mostra a bonita igreja matriz de Alvor, ou do Divino Salvador, mandada construir nos finais do século XVI por D. Manuel é reconstruida no século XVIII, em parte devido ao forte impacto que o Terramoto de 1755 teve na região, apresenta traços próprios de uma tipologia manuelina.
Posted by Picasa

6 de abr de 2007

A "Rainha das Praias"



A Praia da Rocha está numa das zonas mais emblemáticas do Algarve, onde as praias nos aparecem com contornos de rara beleza dadas as rochas que parecem embutidas nos brancos areais contornados por águas convidativas, mas também das mais arrogantes, desleixadas e criminosas intervenções urbanísticas...
Lembro-me de nos começos dos anos 80 fazer praia em Armação de Pêra, num apartamento junto de um largo com uma igreja e perto de um bar de um inglês que dava Wisky, numa taça, ao seu grande Pastor Alemão, de comprarmos comida num inovador take-way no Hotel Garbe, de irmos a praias com acessos em terra batida(mais parecia barro vermelho batido), de ver as "babes" descapotáveis (e eu na pré-adolescência...) que ainda chocavam o português desses tempos...
Depois comprou-se uma casa na Figueira da Foz e fez-se uma troca de praias..e foi nesta que passei a minha adolescência pura e dura!
Com o casamento e com os filhotes voltei ao Algarve a uma praia que recomendo vivamente a quem deseja tranquilidade, bom areal e água fantástica para nadar, refiro-me ao Alvor. Nos últimos dois anos virei-me para os Açores...e a paixão pelas ilhas parece comprometer-me a sério as férias dos próximos anos!!!
Estas mini-férias da Páscoa fizeram-me reviver um pouco este Algarve de Portimão - Alvor - Lagos.

Ps- quanto aos caçadores furtivos que se escondem para apanhar as lebres que andam a 78 Km/h em estradas nacionais, que de nº1 parecem só ter o próprio número, que foram transformadas em ruas nacionais (com limites de 50!!) para ser mais fácil acertar com o "tiro". Seria interessante pegar nos relatórios da Junta Autónoma das Estradas e ver os pontos críticos, quero dizer os locais onde o número de acidentes é elevado, para verificar se alguma coisa é feita nesses locais. No local onde fui presa fácil verifiquei que no ano passado houve apenas 1 acidente...é grave, tal como a minha contra-ordenação! Parece que a filosofia das modernas empresas de trabalhar por objectivos já chegou aos serviços que deveriam ser de utilidade pública. Já estou a imaginar médicos a terem que prescrever determinado número de remédios, a ter de operar não sei quantos doentes por dia (mesmo que as pessoas nada tenham) só para atingir os ditos objectivos...polícias a terem de prender determinado número de ladrões, e a disparar umas poucas de balas para provar a sua eficiência em termos de SERVIÇO. E já agora professores...a não poder atribuír determinado número de níveis inferiores a três a bem do seu profissionalismo!

Todo o texto deste PS é um ensaio humorístico que não deve ser levado em linha de conta. LOL, como escreve a malta...

Posted by Picasa

5 de abr de 2007

Que regresso...


Estava tudo a correr tão bem...três belos dias de passeata pelo Algarve que gosto, sem confusão e tempo tipo "entremeada" (ora com sol, ora com chuva), com belas refeições a comer peixe fresco, com acordares e deitares a ver o mar como cenário!
Viagem de regresso pelo litoral alentejano e paragem na terra que decidiu aparecer no mapa com a criação do primeiro fluviário da Europa e terceiro no Mundo, refiro-me a Mora.
Ao final do dia, bem contente por chegar a casa... uma carta enviada por "caçadores furtivos" deitou por água abaixo toda a alegria vivida em três dias intensos! Foi um KO a fazer lembrar o WWE! Ainda estou no chão... e não sei bem quando me consigo levantar!
Posted by Picasa

2 de abr de 2007

Inté...


...Quinta-feira!!
Ontem num espaço de breves minutos acabei por combinar umas mini-férias no Algarve!! Foi repentina a ideia e a concretização acompanhou o ritmo do cérebro...
Para que os meus amigos blogosféricos não fiquem de todo em jejum deixo-vos aqui o lanche que levei a casa da minha irmã no sábado. São iguarias produzidas na simpática povoação de Tentúgal, mais concretamente no café/pastelaria Pousadinha. Podem apreciar os tradicionais pastéis e queijadas de Tentúgal, Barrigas de Freira, Maminhas da Pousadinha, Lanternas do Convento...
Até eu chegar podem comer dois bolos por dia...

Peço desculpa pela minha pallermice... em não me referir ao novo Allgarve!! Espero qualquer dia ir ao Miño e ao Al-entejo...para cativar os turistas espanhois e árabes deixo aqui a minha dica ao campeão das gaffes deste triste território que tem pouco sentido de humor para entender um político tão engraçado...LOL!!!!

Posted by Picasa