28 de mai de 2006

Logotipo do Parque Arqueológico Vale do Côa

Uma magnífica imagem de cabra, de corpo quase rectangular, cabeça sub-triangular e longa armação alteada em perspectiva distorcida. É figurada em gravado estriado com traços múltiplos por todo o corpo e na cabeça, uma técnica que no Côa se poderá inserir no período da transição entre o Solutrense e o Magdalenense (entre 18.000-15.000 a.C.) ou já no Magdalenense antigo. Pode ser vista na Canada do Inferno.
 Posted by Picasa

Uma boa aventura para a família,,,

A maior parte das gravuras representam animais. Algumas identificam-se facilmente porque estão isoladas mas noutros casos, como o exposto na fotografia, aparecem imagens sobrepostas. Mas com as explicações dos guias e com algum treino acaba por ser divertido desmontar as representações que estão umas por cima das outras.
Esta gravura está incluída no núcleo da Ribeira de Piscos.
Para visitar as gravuras é necessária sempre marcação prévia uma vez que se faz em veículo próprio do Parque (Todo o Terreno...o que torna as deslocações autênticas aventuras para os miúdos...e para os graúdos também!) e com técnicos credenciados. Pode-se utilizar o site: www.ipa.min-cultura.pt/coa/ para retirar os contactos e aprender um pouco mais sobre esta preciosidade que acaba por atrair tão poucos portugueses...se calhar por não haver grandes superfícies comercias na zona, ou por não ser em Espanha ou noutro país estrangeiro!!
 Posted by Picasa

Que grande Tesouro!

Em 1994 um grupo de arqueólogos gritou alto e em bom som que no Vale do Rio Côa havia um fantástico Tesouro! Esse Tesouro não era recheado de ouro ou de outro produto que nos vêm à cabeça quando falamos em tesouro...mas era composto por um conjunto notável de gravuras feitas por homens que por ali passaram há cerca de 20 mil anos!!
Que grande confusão!! E uma barragem que estava em construção naquele local e que iria provocar que as gravuras ficassem debaixo de água!
Barragem ou gravuras? Jornais, revistas, rádio e televisão no país e no estrangeiro deram projecção à temática.
Optou-se pelas gravuras e pela possibilidade de poder visitar um tesouro único no Mundo! É verdade! Ao visitar as gravuras do Vale do Côa estamos a visitar o maior conjunto de arte rupestre ao ar livre no Mundo e os vestígios originais saídos pelas mãos de artistas há mais tempo neste mundo... Lembrar que as pinturas rupestres que se visitam nas famosas grutas de Altamira e Lascoux são cópias para protecção das originais.
Aposta ganha e desde que estão visitáveis que o clube de Arqueologia não perde um ano sem lá ir chegando mesmo a ser já conhecido por alguns guias.
Posted by Picasa

26 de mai de 2006

Bolos da Festa - parte 2

Melhor que um Bolo de Festa só mesmo dois Bolos de Festa!
 Posted by Picasa

Bolo da Festa...

Esta semana no decorrer de uma aula do 11º calhou falar do blog e no hábito de colocar um monumento gastronómico a separar as semanas de posts...quando a aluna Inês falou das especialidades de Cernache: o Bolo da Festa e as Escarpiadas!
Pensei logo na falha grave que era não ter ainda colocado nenhuma das especialidades da terra onde estudei e hoje dou aulas no meu blog, dando um pouco aquela ideia de " em casa de ferreiro espeto de pau!".
Hoje ao sair do Colégio de regresso a casa decidi parar no local onde são feitas...e eis senão que...estavam os Bolos da Festa a sair do forno!!
E uma hora depois já comido um exemplar em várias versões...com compota de maçã, com manteiga, com doce de amora e com mel! E depois de desaparecer foi colocado ainda imaculado, na internet!
Tudo isto graças à aluna Inês e à minha antiga colega de turma, curiosamente no Colégio da Imaculada Conceição até ao ano lectivo 1985/86, Isabel a quem agradeço a amabilidade e prontidão com que me arranjou dois belos exemplares.
As escarpiadas ficam para outra semana...
 Posted by Picasa

23 de mai de 2006

Ecletismo

O barão Von Eschwege aproveitou o local onde se encontravam umas ruínas de um mosteiro do século XV do qual se conserva um pequeno claustro.
Aqui pode ver-se a mistura de estilos e cores! Posted by Picasa

Palácio da Pena

Bem lá no topo da Serra de Sintra como que a concorrer com o Castelo dos Mouros ergue-se o Palácio da Pena. Mandado construír pelo marido da rainha D. Maria II, D. Fernando Saxe-Coburg-Gotha, e entregue todo o projecto ao arquitecto alemão Von Eschwege. De inspiração romântica este palácio acaba por nos mostrar uma eclética mistura de estilos arquitectónicos e rodeado por um frondoso parque.
 Posted by Picasa

20 de mai de 2006

Salamanca

A Plaza Mayor de Salamanca que não deixa ninguém indiferente pela sua monumentalidade e beleza. O clube de Arqueologia já esteve por duas vezes em Salamanca. Talvez para o ano se repita a façanha...

Uma delícia aqui tão perto...

Um verdadeiro primor da doçaria portuguesa...com o tradicional doce de ovos e uma fina e crocante camada de amêndoa a coroar a obra de arte! Quantos de nós já não passámos em Pombal à beira do Manjar do Marquês e não imaginámos que lá se fizessem estas tentações! São as Delícias do Marquês!
Como as fotos de doces estão a acabar vi-me na obrigação de parar esta semana para comprar duas delícias para poder tirar fotografias para o blog...e já me vejo obrigado a ter de encontrar esta semana outro doce...
...o que não se sofre para ter um blog sempre actualizado!! Mas os visitantes merecem que eu tenha tamanho sofrimento!!
 Posted by Picasa

Um mês de Blog...

Fez esta semana um mês que o http://clubedearqueologia.blogspot.com/ entrou na blogosfera e é com enorme satisfação que se consultam os contadores ao fim deste tempo…um deles a apontar para mais de 900 visitas à página e um outro a cifrar o numero de visitantes perto da casa dos 600!!! E tudo em quatro semanas…onde a metodologia tem sido a de colocar uma sugestão de destino para uma escapadinha por este jardim à beira mar plantado e intervalar os destinos com algumas delicias gastronómicas que muita água na boca devem deixar nos visitantes do blog! Enquanto se lê os textos e se vê as fotografias é dada a possibilidade de ouvir um videoclip que semanalmente é mudado!
E como se pode ver no relógio do blog…faltam apenas 19 dias para a saída final que está agendada para dia 8 e 9 de Junho!
O clube agradece as visitas ao blog e os comentários que lá têm sido colocados, para além das palavras de incentivo vindas de alunos, professores e encarregados de educação.
É com agrado que me tornei um "Nunes"(a pessoa que me incentivou para a criação do meu blog) para outras pessoas e neste momento tenhamos um blog do meu aluno Nuno do oitavo ano, http://maismusicaonline.blogspot.com. , do meu colega Rui, http://nosmesmosnews.blogspot.com/ , e recentemente do colega António Franco, http://historiasesabores.blogspot.com/ . Para já não falar da minha filha que acabou por colocar num blog o seu trabalho realizado para a Área de Projecto, http://www.omaravilhosomundodasraias.blogspot.com/ .
Parece importante mostrar e demonstrar aos alunos que a internet pode e deve ser utilizada de forma útil e construtiva para tirar a algum estigma que anda por aí de que a internet e demoníaca e perversa!

15 de mai de 2006

Um rinoceronte em Alcobaça...

Mais um pormenor que nos passa ao lado...no Claustro do Silêncio (ou de D. Dinis). Um rinoceronte a servir de gárgula aproveitando a sua boca para fazer passar a água que corre dos telhados!
 Posted by Picasa

Um exemplo a seguir...

Pormenor que passa despercebido à maioria das pessoas que visita a Igreja do Mosteiro de Alcobaça... uma curiosa lápide que indica o percurso do cano que alimenta o lavabo do claustro, ajudando deste modo um trabalho de reparação necessário. Grande espírito pragmático destes monges em plena Idade Média!
 Posted by Picasa

Mosteiro de Alcobaça

A Real Abadia de Santa Maria de Alcobaça impressiona pela serenidade, pela grandeza e pela beleza. Este mosteiro que remonta aos inícios da nacionalidade apresenta-nos uma fachada com 221 metros da qual se conserva da época romano-gótica apenas o portal, a rosácea e os dois janelões. Tudo o resto é acrescento da época barroca.
Entender a fundação desta abadia é perceber o jogo de sedução que D. Afonso Henriques teve de fazer para que o Papa reconhecesse a independência de Portugal. Senão vejamos... a ordem de Cister foi fundada por Bernardo de Claraval, por curiosidade primo do Conde D. Henrique (pai de D. Afonso Henriques), que privava com o Papa Alexandre III.
Oferecer uma enorme porção de território conquistado aos mouros a Bernardo de Claraval para construír mais um mosteiro da ordem de Cister, em Portugal (o primeiro foi em Tarouca e já foi referido neste blog), acabou por influenciar o Papa a reconhecer Portugal como Nação independente e D. Afonso Henriques como rei.
 Posted by Picasa

14 de mai de 2006

Portugal fantástico!


Portugal visto de Espanha com o Rio Guadiana pelo meio!

 Posted by Picasa

12 de mai de 2006

Túmulo de D. Inês

Num dos topos do Túmulo de D. Inês aparece retratado o tema do Juízo Final. No canto inferior esquerdo é possível verificar a ressurreição dos mortos que saem das suas sepulturas...e depois do julgamento seguem para o Inferno, no canto inferior direito, onde um dragão cospe fogo ao mesmo tempo que engole uns corpinhos! No registo superior a procissão das almas que vão para o Paraíso, isto é, atingiram a Salvação Eterna!
Pormenor interessante: no canto superior direito encontramos num varandim um casal que se supõe ser D. Pedro e D. Inês... a assistir a toda a cena!
 Posted by Picasa

Túmulo de D. Pedro

Pormenor interessante numa das faces laterais do túmulo de D. Pedro que nos mostra cenas da vida do apóstolo S. Bartolomeu, o santo protector dos gagos. Parece que D. Pedro seria gago pelo que se justifica a opção de retratar o santo que aqui se vê a ser esfolado e a exibir a pele e a cabeça ao irmão do Rei da Arménia.
 Posted by Picasa

11 de mai de 2006

Bola de Lamego

Esta semana trago ao espaço gastronómico do Blog, que acaba por me orientar na distinção das semanas de apontamentos neste espaço e espero que oriente quem por aqui passa! Depois do Pastel de Belém, do Travesseiro de Sintra e da Cornucópia é a vez de aparecer o primeiro salgado contemplado: um pedaço de Bola de Lamego! E penso ser esta a devida proporção...três doces para um salgado! Estava a brincar e quem me conhece sabe bem que ando um pouco desligado dos doces...!
Uma vez que durante a semana fui publicando fotos e dicas sobre a região de Lamego e Peso da Régua é justa a escolha da Bola de Lamego e aproveito para referir que desde que me lembro de ir visitar Lamego, sempre as comprei na Patelaria da Sé e, até à data, nunca me arrependi, quer pela variedade, quer pela frescura da dita cuja: a saborosa! Posted by Picasa

9 de mai de 2006

Torre de Ucanha

Esta ponte fortificada constituia a entrada monumental no couto do Mosteiro Cisterciense de Salzedas. A torre servia de cobragem de portagem, defesa e armazenamento de produtos. A função militar era secundária, não existindo ameias no topo.
A sua existência já vem documentada no século XII. D. Afonso Henriques doou, em 1163, à viúva de Egas Moniz, Teresa Afonso, o couto de Algeriz, acrescentando-lhe o território de Ucanha. A ponte deve ter sido construída pelos romanos, no seguimento de uma estrada que passava ali perto. Teresa Afonso, fundadora do Mosteiro de Salzedas, doou ao convento o couto que recebera do rei e foram os monges quem mais beneficiou da velha ponte, convertida em apreciável fonte de rendimento pelos direitos de portagem que seriam cobrados.
Em
1324, D. Dinis pretendeu favorecer as gentes e vila de Castro Rei, concedendo-lhes o privilégio da passagem de Moimenta para Lamego, mas face à pressão dos frades de Salzedas, o rei confirmou tal privilégio a Ucanha.
A torre, com porta de acesso bem acima do nível do chão, tem vinte metros de altura e dez de cada lado da base, onde se encontra a seguinte inscrição "Esta obra mandou fazer D. Fernando, abade de Salzedas, em
1465".
Interiormente, a torre divide-se em três andares: no primeiro apenas uma fresta, no segundo em duas das faces abrem-se duas janelas geminadas e no último salientam-se quatro mata-cães, apoiados em cachorros.
Retirado de "http://pt.wikipedia.org/wiki/Torre_de_Ucanha"
...já agora, Ucanha fica na região de Lamego e perto tem o Mosteiro de Tarouca que foi o primeiro da ordem de Cister, em Portugal.
Posted by Picasa

6 de mai de 2006

Pinhão

Esta vila localizada na margem direita do Rio Douro acaba por ser o «coração do Reino Duriense», nas palavras do autor local Miguel Torga, uma vez que é onde estão localizadas as mais famosas "Quintas" produtoras de vinho generoso. Um dos ex-libris da localidade é a estação dos caminhos de ferro conhecida pelos seus 24 painéis de azulejos, produzidos na Fábrica Aleluia, em Aveiro, autênticos postais de Portugal, retratam paisagens duriense e aspectos das vindimas. É uma das estações mais bonitas de Portugal!
Destaque ainda para a Ponte Rodoviária sobre o Rio Douro projectada por Heifel no século XIX.
A paisagem do Pinhão está classificada pela UNESCO como património cultural da Humanidade e a justificar a sua importância na região é de destacar que foi a primeira Freguesia do distrito de Vila Real a ter telefone, correio permanente, água canalizada e Casa do Povo.
 Posted by Picasa

Alto Douro Vinhateiro

O Clube sugere a todos os que gostam de dar uma escapadinha de vez em quando um rumo traçado para uma região que faz parte da lista de património classificado pela UNESCO como “sítio”, onde se produz vinho há cerca de 2000 anos, e como “paisagem cultural” uma vez que a actividade humana é responsável pelas quintas, terraços, povoações, capelas e estradas. Refiro-me ao Alto Douro Vinhateiro.
Três povoações nos devem esperar... Lamego, Peso da Régua e Pinhão. Lamego para uma primeira paragem para esticar as pernas e visitar a bonita Sé de Lamego que constituí um verdadeiro ex-libris do Gótico português. Mas ao sair deste majestoso templo deve-se procurar a Pastelaria da Sé para comprar uma bôla... a dificuldade vai ser a de escolher entre uma imensa oferta que vai desde bôlas de presunto, de queijo e fiambre, de bacalhau, de carne em vinha d'alhos e muitas outras!! Enquanto se trinca um destes belos exemplares da gastronomia portuguesa pode visitar-se o Santuário da Nossa Senhora dos Remédios e daqui a uns tempos o Museu de Lamego que se encontra de momento em obras de remodelação.
Depois é sempre a descer até Peso da Régua onde o Museu do Douro, criado em 1997, não decepcionará quem o visitar.
Para penetrar no coração do Alto Douro o clube sugere uma viagem de comboio entre Peso da Régua e Pinhão que proporcionará uma visão única de uma das mais poderosas paisagens de Portugal. O comboio segue rés ao rio, por lugares muitas vezes inacessíveis de outro modo….!!!!
 Posted by Picasa

Vinho de Feitoria

Um marco utilizado para demarcar a região vinícola do "Vinho de Feitoria", hoje vulgarmente denominado por Vinho do Porto, criada no tempo do Marquês de Pombal e que tem a particularidade de ser a primeira região demarcada criada no Mundo.
Deve visitar-se o Museu do Douro na cidade de Peso da Régua que é comummente designada como a capital da Região Demarcada do Douro.
http://www.museudodouro.pt/
 Posted by Picasa

5 de mai de 2006

Cornucópia...

Dizem os chineses que uma imagem vale por mil palavras... neste caso atrever-me-ia a dizer...por mil sabores!! Que belo exemplar de cornucópia, parece-me ser o nome "científico" desta preciosidade, degustado em Alcobaça em jeito de honrar os doces elaborados no secular mosteiro cisterciense da cidade de Alcobaça.
E aqui tão perto... em Alcobaça na Pastelaria Alcôa mesmo em frente do mosteiro!
Posted by Picasa

3 de mai de 2006

Padrão dos Descobrimentos

Bem destacado na margem do rio Tejo, em Belém, ergue-se o majestoso monumento mandado edificar no regime de Salazar com o intuito de comemorar os 500 anos da morte do Infante D. Henrique.
Esta foto tirada do lado poente mostra-nos como o monumento nos sugere uma caravela na qual na proa está o Infante D. Henrique seguido do Infante D. Pedro. Nesta vertente do edificío pode também ver-se personagens como Fernão Mendes Pinto, autor da Peregrinação, e Luiz Vaz de Camões, autor dos Lusíadas!
Posted by Picasa

S. Francisco de Xavier

Do lado exterior do Padrão dos Descobrimentos encontramos duas filas descendentes, de cada lado do monumento, com inúmeras estátuas de personagens ligadas à epopeia das descobertas. Podemos encontrar o Infante D. Henrique, Vasco da Gama, Pedro Álvares Cabral, D. Manuel, Luis Vaz de Camões...e muitos outros "heróis" portugueses!
Apresento aqui nesta foto S. Francisco de Xavier, notável Jesuita que está na berlinda por se comemorarem os 500 anos do seu nascimento. Deve-se consultar o site http://www.sfx.eventos.lisboa.ucp.pt/index.html para ter uma noção do que está a ser feito em Portugal para comemorar este importante centenário!
 Posted by Picasa

2 de mai de 2006

Rosa dos Ventos

Uma perspectiva pouco usual da enorme rosa dos ventos situada em frente ao Padrão dos Descobrimentos, em Lisboa, que foi oferta da República Sul Africana na década de 60.
Destaca-se o mapa-mundo na zona central pontilhado de galeões e sereias fazendo uma clara alusão à epopeia dos Descobrimentos levada a cabo pelos portugueses nos séculos XV e XVI.
A fotografia foi tirada do topo do monumento dos descobrimentos que se encontra a 50 metros do solo e de onde se tem uma vista privilegiada da cidade de Lisboa.
Posted by Picasa