28 de fev de 2007

Reconfortante


Hoje passei a tarde com um grupo de alunos que se distinguiu nas avaliações de final do 1º Período, na turma C do oitavo ano, aos quais foi prometido uma viagem de mérito! Semelhante iniciativa já tinha levado a cabo com a minha direcção de turma no final de Janeiro, agora fazia o mesmo percurso acompanhando o meu colega Victor.
O objectivo era ver e percorrer um património natural de rara beleza que está bem próximo de todos nós e que é desconhecido pela ultra-maioria dos habitantes da própria região circundante. Depois de percebermos as características das serras de formação cársica lá fomos até às Buracas do Casmilo, seguidas do Vale do Poio e para terminar a exsurgência do Anços.
Para saber um pouco mais sobre estas formações cársicas podem ser consultados os posts que escrevi nos finais de Janeiro, princípios de Fevereiro.

Fico sempre impressionado com a força desta "nascente"...e mais fiquei quando um mês depois de lá ter estado observar que o caudal está ainda mais forte.
Foram bons momentos na companhia de pessoas que acabam por reconhecer que a escola faz parte dos seus projectos de vida ajudando-as a alcançar o "magis" diariamente. Não podemos deixar de agradecer a um São Pedro que se mostrou cooperante com a saída...guardando a chuva para outros locais!
Posted by Picasa

27 de fev de 2007

Tradições...


...que se perdem no tempo.

Dizem fontes que a festa de Podence se imerge no domínio dos tempos até às antigas Saturnais romanas – celebração em honra de Saturno, Deus das sementeiras. Deste modo pretende-se acalmar a ira dos Céus e garantir favores de uma boa colheita. E a dupla máscara acentua a relação, ao lembrar uma das duas importantes divindades romanas: Jano, Deus do passado e do futuro e também do presente, senhor dos portões e entrada, da guerra e da paz e dono de todos os princípios. O filho de Apolo, que um dia partilhou o trono com Saturno e conjuntamente civilizaram os habitantes de Itália, levando-os a tal prosperidade que ao reinado chamaram era de ouro, é geralmente representado com duas caras por ser do passado e do futuro, e principalmente, por ser símbolo do SOL.
Nos dias de hoje a agricultura continua a ser, em Podence, a principal actividade da população. Da terra se extrai cereais e castanhas, embora nos últimos anos , tenha aumentado a produção de azeite. A aldeia de Podence parece ter força suficiente para manter tradição e garantir a vida a estas figuras, recheados de homens endemoninhados, armados de chocalhos e rédea solta para as tropelias

Segundo um comentador ao meu último post estas tradições também estão relacionadas com os celtas.
Posted by Picasa

26 de fev de 2007

Carnaval em Podence


Cheguei agora ao que me levou a deslocar para Trás-os-Montes, o Carnaval de Podence, um interessante ritual que se situa entre o pagão e o religioso. Todos os anos, chegados a Fevereiro, os homens trajam-se com umas vestes bem coloridas (feitas com colchas franjadas de lã ou linho, em teares caseiros) escondem a cara entre duas máscaras de lata, prendem à cintura uma série de chocalhos... e fazem-se notar pelas ruas da pequena povoação!!
É quase uma despedida ao Inverno e contam com os favores do Sol, a quem louvam o seu reino, ao mesmo tempo que marca a despedida da folia e a entrada no recolhimento da quaresma, período que sabemos ser de calma, reflexão e contenção para os católicos.
Posted by Picasa

25 de fev de 2007

Peso da Régua



Curiosamente conheci esta bela cidade com uma deslocação do Clube de Arqueologia. Estavamos no ano lectivo de 2001/02 e acabava de entrar para o referido Clube uma aluna do 6ºano de escolaridade, de seu nome Alexandra, que passados estes anos todos faz questão de ser uma clubista ferrenha. Nesse ano estava um calor imenso e acabámos por ter uma surpresa muito agradável por parte do senhor que nos ia fazer um mini-cruzeiro no Douro, da parte da tarde, que ao ver-nos a preparar para pic-nicar à chapa do sol no cais de embarque...nos convidou para entrar no barco! Um barco por nossa conta com ar-condicionado...e bebidas frescas, parecia um sonho! Durante o cruzeiro deixaram que o clube se instalasse na cabine de comando!!
No ano passado voltei com o clube a esta cidade e voltei a ter uma aventura...mas desta vez no combóio, que supostamente deveria seguir até Pinhão...e arrancou para o Porto!!!
Marcas de um clube que acaba por ser marcante em quem por lá passa!
Posted by Picasa

Grande Douro...


No dia 25 de Novembro passei na Régua com o Clube de Arqueologia...e vimos um Rio Douro "selvagem" que subiu 11 metros em relação ao seu leito "normal". Tirei muitas fotografias e fiz alguns posts...mas faltavam-me fotografias para que as pessoas pudessem ver a diferença de uma Régua debaixo de água e uma Régua normal.
Este motivo levou-me a passar no local para tirar umas fotografias para que os próprios alunos do clube tenham a idéia daquilo que viram, em Novembro, pois alguns nunca tinham ido a esta simpática povoação.
Posted by Picasa

24 de fev de 2007

A Sé e o "Trás da Sé"...

A Sé...
Ao olhar para a Sé Catedral podemos dizer que estamos perante conjunto harmonioso de estilos que evidenciam o número de sucessivos restauros. Possui uma torre românica do século XII com lindas frestas renascentistas no alçado sineiro do século XVI. A fachada é gótica (sécs. XV-XVI) mas tem um janelão manuelino. A casa capitular e o claustro são renascentistas (séc. XVI). Já o corpo de três naves é em estilo neo-clássico (século XVIII) e tem o berço das abóbadas pintado a fresco com motivos bíblicos, executado pelo Nicolau Nasoni (1737/8).
O "Trás da Sé"...
Já fui a Lamego inúmeras vezes e um dos pontos de "visita" obrigatória...para mim, sempre foi a Pastelaria da Sé, onde para além das tradicionais "bolas de Lamego" com variados sabores podiamos apreciar deliciosos pastéis. Desta vez dada a próximidade da hora de almoço, optei por entrar na porta ao lado que está encimada por um letreiro sugestivo "Restaurante Trás-da-Sé". Gostei de tudo o que se pediu para a mesa...rojões com arroz de feijão, alheira, entrecosto em "vinhadalhos", vitela assada à lafões... e no final uma conta que não chegou aos 40 euros (é bom pensar que estavam 8 pessoas na mesa e cresceu comida!). Fui forçado a pensar como é caro comer no MacDonalds!!!!!
Posted by Picasa

22 de fev de 2007

Lamego



O primeiro ponto de paragem foi numa cidade atraente na região demarcada do Vinho do Porto, apesar de estar actualmente ligada ao espumante de qualidade que é produzido nas caves da Murganheira e Raposeira, mas que nos oferece bons presuntos e boas frutas.
Nesta cidade reuniram-se as primeiras cortes para reconhecimento de D. Afonso Henriques como rei de Portugal, mas o posterior declínio económico foi detido no século XVI graças a uma aposta nos vinhos e nos têxteis. A provar essa recuperação económica temos belas casas barrocas e um Santuário que actualmente é local de romaria...dedicado à Nossa Senhora dos Remédios.

Ao olharmos para esta obra-prima parece que estamos a ver uma réplica do Bom Jesus de Braga...já que temos uma igreja com duas torres que se implanta da mesma maneira no terreno e tem um imponente acesso em escadaria dupla, com 9 patamares embelezados com azulejos e urnas. Quem se atrever a subir os 686 degraus é recompensado com uma vista magnífica sobre a cidade, o Douro e os vales ao fundo. Nos inícios de Setembro é altura da romaria e são aos milhares os peregrinos que se deslocam até Lamego.

Esta cidade ganhou um dinamismo interessante nos últimos aos com a abertura de dois cursos superiores que geraram contabilistas e educadores de infância orgulhosos de terem passado alguns anos da sua vida nesta pacata e simpática cidade.

Dedico este post à autora do Mia Gato!... Miau! (http://mia-gato-miau.blogspot.com/), que apesar de não ser natural da região acabou por se tornar uma "filha da terra" dada a relação profunda que estabeleceu com Lamego.

Posted by Picasa

21 de fev de 2007

De regresso...


...e com alguma dificuldade em saber por onde começar!!!!
Mais de 500 fotografias tiradas e muitos milhares de minutos vividos intensamente por terras do nosso Portugal, não deixando de fazer algumas investidas nos terrenos de nuestros hermanos, devem ocupar os posts das minhas próximas semanas. Vou tentar criar uma espécie de roteiro para quem deseje sair 3 dias e esteja indeciso quanto ao local. Claro que estes 3 dias vividos com a "pedalada" do "Arqueólogo-Moura" podem transformar-se em muitos mais dias...para um dos meus amigos visitantes.
O objectivo primordial desta minha deslocação foi conhecer um dos carnavais genuinamente portugueses que ainda perduram neste território que parece ter-se rendido um pouco aos corsos carnavalescos brasileiros, onde aquilo que mais reina é a aposta no Kitsch e na pele de galinha dos que se esquecem que no Brasil nesta altura do ano não é Inverno!
O carnaval que desejei ver foi o dos "Caretos", em Podence. O "quartel-general" que escolhi foi na modesta e pacata cidade de Bragança, que nada tem a ver com a triste imagem que se fez projectar nos media por alturas do euro 2004, tentando desse modo percorrer o Parque Natural de Montesinho e a região espanhola que acaba por estar muito ligada à nossa História já que Zamora e Alcanizes, em 1143 e 1297, deram-nos uma independência e umas fronteiras que nós adoramos.
Vou respeitar a ordem cronológica desta minha "passeata" e os primeiros posts vão ser dedicados a uma amiga virtual...que gosta de gatos e tem todos os dias nas suas mãos um belo conjunto de "joaninhas".
Posted by Picasa

17 de fev de 2007

Petisco merecido...


...pensado por mim, às 21.30, confecionado e comido até às 22 horas!!
Depois de uma semana de intenso trabalho, que terminou com a já referida reunião com Encarregados de Educação, hoje foi um dia de relaxamento e criação gastronómica ao cair da noite.
Curiosamente era para jantar algo suave uma vez que o almoço, no restaurante "Muralhas", teve uma inofensiva espetada de cherne com gambas seguida de meia posta à mirandesa...
Mas às 21.30 deu-me alguma fome e ao ver que o "pequeno-grande" queijo de Azeitão estava nas "lonas", leia-se com pouco queijo no seu interior, lembrei-me em raspar o que havia dentro de si, bater uns ovos, desfiar um pouco de fiambre...juntar tudo numa frigideira...e mexer!! Depois, seguindo a lógica que "o bom filho à casa torna" meti o queijo derretido com o ovo e fiambre dentro das paredes "queijais"... gostei destes reencontros!!
Um bom fim de semana para os meus amigos virtuais e reais...
...eu cá vou fugir...para ver algo que é genuinamente português e nunca vi antes!! Aguardem por novidades....
Posted by Picasa

16 de fev de 2007

A substância do tempo !

Hoje tenho ao início da noite...lá pelas 21 horas, a tradicional reunião do 2º Período, com os Encarregados de Educação da minha Direcção de Turma. Como é habitual elaboro um documento que serve de guião e distribuo pelos presentes.
Vou partilhar neste meu/nosso espaço um primeiro momento da reunião que eu designo...

Para pensar...
Quando chove, é costume colocar um plástico sobre a roupa estendida para que não se molhe. “Guarda-chuvas” creio como se chama. Vendem-se nos hipermercados e nas lojas de ferragens.
Sobre a coberta da nossa quotidiana cultura de plástico, vão caindo gotas de inspiração, sugestões, ideias limpas de contaminação e de prejuízos calcários. Vêm das nuvens do pensamento, do céu de cada um e, se não as reconhecemos a tempo, perdem-se no trânsito desordeiro do asfalto, debaixo das pisadas apressadas dos transeuntes acelerados.
São a substância que perdemos debaixo dos guarda-chuvas do não pensar por chegar a tempo. Se nos escapam milhares de sensações que poderiam aquecer os campos ressequidos da imaginação; que poderiam ser alimento de projectos que morrem por falta de atenção e cuidado.
Ocorrem muitas coisas entre nós sobre o teto de plástico, que vagueiam sem rumo certo mas têm a trama da nossa história individual. Recolher essas gotas de chuva meticulosamente é escutar Mozart, é extasiar-se ante um entardecer na minha terra. E perante tudo é escutar o canto do outro “como o meu próprio canto”; é dar-se conta de que falta o vinho nas bodas de Canã… E então aquece o espírito, abre-se as alas de esse pássaro despercebido que todos levamos dentro, no espaço do coração.
(adaptado de Cármen Villamayor)

14 de fev de 2007

A Glória do Magistério

"Se eu tivesse um filho que desejasse ser professor, dar-lhe-ia minha benção, como se ele partisse para uma batalha. Pois, na verdade, é eterna a guerra contra preconceitos, a cobiça e a ignorância, e aqueles que se dedicam a ela dão suas próprias vidas, para ver vencida, pelo menos em parte, essa gloriosa campanha."

Era assim que James Hilton via a nobre profissão de professor... e estávamos em Janeiro 1947, dois anos após o final da Segunda Guerra Mundial. Penso que a referência ao termo batalha e guerra se justifica no contexto em que foi gerada a afirmação...mas acaba por ser intemporal tal semelhança encontrada pelo autor.

12 de fev de 2007

Pequenas grandes coisas...


Ontem foi dia de festa para mim já que o meu filho fez a sua primeira comunhão!

Para mim, para ele, para a mãe, para a irmã, para a família, em geral, e todos os seus amigos foi um dia especial uma vez que assistimos o Guilherme a dar um passo em direcção à sua FELICIDADE.
Sabemos o quão importante é nesta sociedade confusa e cheia de contradições ter a LUZ e a FORÇA do Senhor, para vermos o caminho e para sermos testemunhos de valores que dão sentido à VIDA.

Vou compartilhar uma oração que acaba por resumir a importância de ser cristão nos dias que correm...

Pai que olhas por igual a todos teus filhos
Nosso, dos 6.000 milhões de pessoas que habitam na terra, seja qual seja a nossa idade, cor ou situação
Que estais nos céus e na terra, em cada homem, nos humildes e nos que sofrem
Santificado seja o Teu nome mas não com o estrondo das armas, senão com o sussurro do coração
Venha a nós o Teu reino, o da PAZ, o do AMOR. E afasta de nós os reinos da tirania e da exploração
Seja feita a Tua vontade, sempre e em todas as partes. No céu e na terra. Que os teus desejos não sejam travados pelos filhos do poder
Dá-nos o pão de cada dia que está amassado com a PAZ, com a JUSTIÇA, com o AMOR. Afasta de nós o pão da discórdia que semeia inveja e divisão
Perdoa-nos não como nós nos perdoamos uns aos outros, mas como tu perdoas, sem lugar ao ódio e ao rancor
Não nos deixes cair em tentação de armazenar o que não nos disseste, de acumular o que outros necessitam, de ver com receio tudo de frente
Livra-nos do mal que nos ameaça, dos milhões de toneladas de armas, porque somos muitos os que queremos viver em PAZ.

Posted by Picasa

10 de fev de 2007

Campo de lápias


Podemos ver perto do Casmilo um vasto campo de Lapiás onde a “rocha nua cinzelada, perfurada e lavrada por sulcos mais ou menos profundos e estreitos, imprime um cunho particular a esta região.
Saõ resultado de um retoque de pormenor no longo processo geomorfológico e neste caso aparecem em sulco pois resultam da dissolução pelas águas de escorrência já que existe um declive.
É curioso que numa deslocação ao Casmilo pudemos ver de uma assentada várias formações cársicas como este campo de lápias, várias dolinas, as buracas... dando inclusivamente para fazer o percurso a pé contemplando a magnificiência da paisagem que aparece envolvida por um silêncio único, para não dizer raro nos dias de hoje.

É uma proposta interessante para uma visita de estudo no âmbito da Geografia, da actual Biologia/Geologia e da História já que ao descer a enconsta em direcção ao Rabaçal pode ver-se vestígios da presença romana e degustar o saboroso Queijo do Rabaçal... Isto seria a minha proposta para uma visita perfeita!!

Posted by Picasa

9 de fev de 2007

LUZ...


...ao fundo do Túnel, é o que já vejo!! Quero dizer...a montanha de testes(já foram 4 turmas vistas...) está a dar lugar a uma planície de testes(para já falta uma para ver e outra para fazer...), ou então são influências de ter estado a orientar o estudo ao meu filho sobre as formas de relevo para um teste que tem hoje!!!
A fotografia foi tirada no já referido Vale do Poio.

7 de fev de 2007

Morcego...


...é como me sinto nestas alturas em que os testes se avolumam na minha secretária!! Acabo por trocar os dias com as noites e as maratonas aparecem com naturalidade... acordar às 4 da manhã para ver testes...dormir 5 horas...
Já é hábito e o corpo não estranha durante as minhas "semanas lusco-fusco"(termo que não aparece no dicionário)!!

Posted by Picasa

5 de fev de 2007

Por falar em rochas...



...apeteceu-me deixar um pouco de lado os calcáreos e as formações cársicas, que entretanto retomarei com umas dolinas e campos de lápias, para voltar ao Pedrogão onde podemos observar com as marés vivas rochedos que normalmente estão debaixo do areal!
Para melhor contemplar estas formações rochosas aconselho vivamente parar no Restaurante A Rocha e degustar um arroz de tamboril que é divinal. Deste modo aquecemos e alegramos o nosso interior ao mesmo tempo que observamos o bonito areal da Praia do Pedrogão.
Desculpem lá este post...mas são efeitos secundários da montanha de testes que tenho para corrigir!!!!!

Posted by Picasa

4 de fev de 2007

Buracas do Casmilo


Perto da aldeia do Casmilo aparecem-nos as "Buracas do Casmilo" que são mais uma interessante formação geológica nesta serra calcárea de Condeixa-Sicó-Alvaiázere.
A chegada a este local faz-nos reter a respiração tal é a beleza e grandiosidade desta formação cársica. Um vale ladeado por grandes escarpas, todas "esburacadas" como aqueles queijos franceses que aparecem sempre nos desenhos animados associados à gula dos ratos...
Estas grutas a céu aberto...correspondem ao que resta de várias salas de uma gruta existente no interior do monte, resultando do abatimento da parte central de uma conduta que deixou a descoberto as suas partes laterais extremas.
Posted by Picasa

3 de fev de 2007

Sabores tradicionais


No último post fiz referência a dois petiscos da região e para ilustrar melhor o que escrevi... fui ao meu arquivo fotográfico buscar duas fotografias que deixam no ar parte do sabor tradicional com umas pitadas de virtual...

Cabrito assado no forno - quem desejar experimentar pode consultar http://www.receitasemenus.net/content/view/1401/194/


Queijo do Rabaçal — um queijo de cabra e ovelha, amarelo amantegado, com sabor muito próprio, derivado em boa parte dos pastos espontâneos de erva aromática de Santa Maria (tomilhinha - Thymus L.)

1 de fev de 2007

A tradição...


...continua a ser o que era nestas serras calcáreas de Condeixa-Sicó-Alvaiázere!
Achei curiosa a reacção da fotogénica ovelha que nos veio receber no Vale do Poio Velho e orientar no caminho até duas pastoras que guardavam o resto dos seus amigos ovinos e caprinos. Aqui comem erva da boa, leia-se erva de S. José e de Santa Maria, que lhes dá sabor ao leite e carne. Não é por acaso que o queijo do Rabaçal tem um sabor muito peculiar e o cabrito assado no forno é prato regional afamado.