15 de mar de 2007

Viagens na Minha Terra...



O Clube decidiu “homenagear” Almeida Garret tentando seguir as suas pisadas por terras de Santarém.
E tal como nos é descrito nas “Viagens na minha terra”, "eram as últimas horas do dia, quando chegámos ao principio da calçada que nos leva a Santarém (…)”. E depois de percorrer algumas ruelas “Cá está a curiosa Torre das Cabaças (…)” e mesmo ao seu lado “(…) a velha igreja de S. João de Alporão”, construída no século XII. E a caminho das famosas Portas do Sol, tempo para dar uma espreitadela ao “(…) arrendado e elegante frontispício gótico da Graça”, onde repousa em campa rasa, o descobridor do Brasil, Pedro Álvares Cabral.
“Depois de muito procurar entre pardieiros e entulhos, achamó-la enfim a Igreja de Santa Maria de Alcáçova”, um pequeno templo construído poucos anos depois da conquista de Santarém. E mesmo ao lado as muralhas defensivas do velho burgo que possuíram outrora oito portas: Atamarna, Valada, S. Mansos, S. Gens, Carreira, Leiria, Santiago e Sol (que dá o nome ao Jardim, Portas do Sol).
Continuámos o nosso passeio rumo à Praça Sá da Bandeira. Em frente “(…) o Colégio, tipo largo e belo no seu género, e quanto o seu género pode ser, das construções jesúiticas…(…)”. É um magnífico edifício de grandes proporções.
E fomos assim chegados ao termo do nosso percurso percebendo perfeitamente as palavras de Almeida Garret sobre tão simpática terra: Santarém fatigou-me o espírito, como todas as coisas que fazem pensar muito. Deixo-a porém com saudade, e não me hei-de esquecer nunca dos dias que aqui passei”.
Posted by Picasa

8 comentários:

Tozé Franco disse...

Excelente texto, ou melhor, mistura de textos.
Um abraço.

ManuelNeves disse...

Viva!

Mais um belo post e magnifica ideia essa de homenagear Garret. Mais um escritor grande da nossa língua votado ao esquecimento, como acontece com tantos outros.
Obrigado por o relembrar de uma forma tão activa. Os livros além de colocarem o nosso imaginário a funcionar, também nos podem pôr a viajar pelos lugares e sítios da acção.

Um Abraço

meg disse...

Amigo Moura, venho aqui comvidá-lo a ver uns calhaus que tenho lá em casa... pode ser que lhe abra o apetite para umas expedições fantásticas... e por lá há bons restaurante, boa carne... vaca arouquesa...
Obrigada pela visita e pelo apoio, mas a tralha não cabia e tive de mudar.
Lá o espero para um chá...a saber a chá.

meg disse...

Amigo Moura, já está...
Agora comvido-o para um chá... a saber a chá.
As pedras são uma provocação, quem sabe não o inspiram para mais uma expedição, se é que não conhece o "fenómmeno"...
Um abraço

redonda disse...

Engraçado, estive em Santarém há alguns dias (tirei uma fotografia parecida com a que aparece aqui, mas a que aparece é melhor do que a que tirei :)

Professorinha disse...

Deve ter sido uma visita espectacular!!!!

Fica bem :)

=^.^= Tarina =^.^= disse...

Tive de ler Viagens na Minha Terra.... um pouco obrigada...
è o que acontece quando se dão as obras na escola...

Gosto de ler.. o que quero e quando quero...

Neste momento.... talvez o leia com outros olhos...

Sim! Acho que é mesmo isto que me vai acontecer...

Vou buscá-lo á estante e por na mesinha de cabeçeira... já lá estão 3.. mas gosto de ir lendo LOLOLOL

Fará concerteza uma leitura diferente de a feita á 9 anos!!!!!


1 beijinho =^.^= tarina

lurainbow disse...

A ponte tb é minha e tudo o que avistam daqui , tudo o que vem e não vem é meu lol
Um ditado ribatejano he he he