29 de mar de 2007

Filosofia da Luz


Vou retomar a saga do Clube de Arqueologia pela Capital do Gótico, refiro-me a Santarém e aos seus belos exemplares desta corrente artística que teve início pelos preceitos ideológicos do Abade Suger no momento da reconstrução da Abadia real de Saint-Denis, entre 1137 e 1144.
Este estilo que rompe de certa maneira com o Românico acaba por ser a afirmação de uma nova filosofia que conjuntamente com relações matemáticas precisas vão dar rigem a uma arquitectura mais harmoniosa e com proporções inovadoras.
O enfoque vai ser dado a uma LUZ que se quer em abundância para que a comunicação com o divino e o sobrenatural seja facilitada, dado que é com ela que o homem comum pode admirar a glória de Desus e melhor aperceber-se da sua mortalidade e inferioridade.
Para que esta filosofia do abade Suger se torne real vão-se difundir os vitrais, grandes vitrais possíveis devido a uma melhor técnica construtiva que permite que se abram nas paredes, agora libertas da sua função de apoio, estes rasgos de vidro e pedra bem recortada e trabalhada como se de uma renda se tratasse que permitem a metamorfose do interior num espaço gracioso e celeste.
Em Portugal aparece no último quartel do século XII, com a construção do Mosteiro da Batalha e a sua expansão está muito ligada às ordens religiosas mendicantes (franciscanos, dominicanos, carmelitas, agostinhos), que construíram vários mosteiros em cidades portuguesas nos séculos XIII e XIV.
Posted by Picasa

4 comentários:

=^.^= Tarina =^.^= disse...

Goto muito da forma com tu escreves... até dá vontade de saber mais...

LOLOL

Sempre me interessei por História... mas sabes, ler apenas em livros onde descrevm desalmadamente não faz muito o meu género... assim como escreves de maneira simples e muito resumida, remete-nos a esse tempo, percebemos mais um pouco e ficamos com vontade de ler o próximo post!

LOLOL

1 beijinho da amiga =^.^= tarina

Lúc poems disse...

Gosto muito do Mosteiro da Batalha! cada vez que passo ao lado quando vou à minha Terra Natal fico deslumbrada com a capacidade do homem construir algo tão robusto. De facto parece ser uma estrutura não muito dada ao romantismo, mas sim mais agressiva, imponente...
Axo que nunca te disse, mas eu sempre gostei de história, até ao dia em que uma professora teve uma atitude menos interessante e acabei por desejar não ir mais às aulas... o mais cómico é q em quase todos os testes tirava muito bom, no entanto senti muitas vezes que decorava, antes de compreender, alguns pontos...
Ah e como paparazzi n estás nada mau, podias era deixar q te tirassem uma foto tb :)
Jokas

al cardoso disse...

Ate parece que com a mudanca do romanico para o gotico, saimos das idade das trevas para a da luz, so que em muitos casos foi ja depois do gotico e ja na renascenca que os cristaos se tornaram muito mais intolerantes!

Um abraco amigo d'Algodres.

cascão disse...

È lindíssimo. Eu cá de relações matemáticas precisas não percebo muito. Mas quando se anda num clube tão majestoso, solicitado e FANTÁSTICO descobrem-se e vêem-se coisas "espetacolheres".