18 de mar de 2007

Almourol encantado



Este castelo que se eleva a 18 metros de altura, sobre um afloramento granítico, tem algumas muralhas de origem romana, tese comprovada pela estrutura de embasamento da torre de menagem e pelos materiais arqueológicos e numismáticos encontrados no local. Foi mais tarde ocupado pelos árabes e conquistado por D. Afonso Henriques. No ano de 1171 sob a ordem dos Templários é reconstruído e ampliado para ...??? Boa pergunta para a qual alguns apontam como uma mera atalaia onde se controlaria as embarcações que navegavam no Tejo, já que o rio se navegava desde Lisboa até às Portas de Rodão, ou teria outra função, menos evidente ?
Imponente transmite segurança e intimidade que nos acaba por levar a muitas histórias e lendas cujas personagens ainda passeiam no interior das muralhas...
Para ver e sentir tudo isto é preciso chegar a tempo de apanhar o barco e dar a volta à ilha, desembarcar no meio de uma vegetação abundante e não perder o barco de regresso para não partilhar a ilha de noite com os fantasmas...
Posted by Picasa

8 comentários:

Maria P. disse...

Fantástico! Cheguei aqui através do blog da Teresa, curioso também hoje editei uma foto de Almourol.

Parabéns pelo blog.

=^.^= Tarina =^.^= disse...

Linda fotografia!!!!

1 beijo =^.^= tarina

Teresa Durães disse...

hum... eu sou uma curiosa por tudo o que tem a ver com os restos (colocar restos na palavra restos) da antiga cultura lusitana. muitas são as lendas e tradições que atribuímos a uma cultura mas pertence a uma época anterior, apenas foi adoptado. O Carnaval sobreviveu 2000 anos. Porque seriam essas lendas mouras se os mouros só cá estiveram três séculos? sociologicamente não é nada. Para um povo mudar a sua cultura é preciso muito mais. nem com a língua ficámos, apenas com alguns nomes (o que é normal)

al-mourol (dos mouros?) não sei, não sou linguista.

Para dar um exemplo mais preciso que penso ser curioso (se calhar conhece). Temos um feriado único que um Rei (D. Fernando? Não me lembro) pediu a Roma para decretar como feriado que não existe em mais nenhum país católico. Nª Senhora dos Prazeres. Em Maio. Nada tem a ver com uma igreja que não privilegia os prazeres.

Foi dada permissão porque não conseguiam controlar os lusitanos (os portugueses, vá) com as suas festas de ida para o campo apanhar flores, acender fogueiras, arranjar namorados e deitarem-se com eles.

boa noite

elsa nyny disse...

Olá Moura!!!
Que linda Foto!!
Que lindas viagens!!!
Tudo bom para ti!
Bj

Teresa Durães disse...

por curiosidade

uma gravura do castelo

http://purl.pt/4031/1/

Lu disse...

Não partilhei a ilha com os fantasmas, mas sim com os seus habitantes:) algumas cabritas, os patos reais e uns porquinhos negros muito barrigudos. É um bonito sítio para se visitar.

Nuno disse...

A ver pela última fotografia, pouco faltou para ficarem a partilhar a ilha com os fantasmas! :)

Klatuu o embuçado disse...

É único, de uma beleza rara, e com uma paisagem envolvente que parece que não saímos da Idade Média.