14 de fev de 2007

A Glória do Magistério

"Se eu tivesse um filho que desejasse ser professor, dar-lhe-ia minha benção, como se ele partisse para uma batalha. Pois, na verdade, é eterna a guerra contra preconceitos, a cobiça e a ignorância, e aqueles que se dedicam a ela dão suas próprias vidas, para ver vencida, pelo menos em parte, essa gloriosa campanha."

Era assim que James Hilton via a nobre profissão de professor... e estávamos em Janeiro 1947, dois anos após o final da Segunda Guerra Mundial. Penso que a referência ao termo batalha e guerra se justifica no contexto em que foi gerada a afirmação...mas acaba por ser intemporal tal semelhança encontrada pelo autor.

8 comentários:

elsa nyny disse...

OOOhhh!
Que guerra, não!!!
Muita força!!!


beijinhos pa ti!!


:))

elsa nyny disse...

OOOhhh!
Que guerra, não!!!
Muita força!!!


beijinhos pa ti!!


:))

=^.^= Tarina =^.^= disse...

Por vezes é fificil deempenhar a profissão que queremos... estou a abranger a outras pois este teu post pode ser visto de alguns angulos diferentes...
Pode-se nao conseguir ser aquilo que se quer por muitos motivos!

ai sim é necessario vencer batalhas para se ganhar a guerra!

Gostei ... ineressante!

1 beijinho =^.^= tarina

al cardoso disse...

Parece que por Portugal e neste nosso tempo ainda e "guerra" que dara origem a varias batalhas!!!

Um abraco d'algodres.

MARIA VALADAS disse...

A " Nobre profissão de professor"..que estive quase a abraçar...

O destino...abriu-me outra porta!

Gosto de ler todos os teus post...
nem sempre deixo mensagem...

Beijo da
Maria

redonda disse...

Tenho uma irmã que anda nessa guerra.
P.S. Gosto muito desta música

lurainbow disse...

... :) O Moura é carnaval hi hi

Badala disse...

Se eu pudesse mudava de profissão.