6 de set de 2006

Miradouro do Raminho



 Posted by Picasa

8 comentários:

azoriana disse...

Pois é por aí, nessa verdejante paisagem bordada pelo azul celeste e marinho, que o meu olhar pousou muita e muita vez.
Em http://fotos.sapo.pt/azoriana se procurar os albuns relativos à Serreta verá que também orientei a objectiva da máquina para estes lugares de paz.
Já se torna viciante vir por aqui. :)

Moura disse...

Aina bem...
...é um vício saudável!
Um abraço para a cara amiga!

manuel neves disse...

Viva!

O meu amigo sempre manifestou ser um exímio na arte da escrita, agora vou cada vez mais percebendo que também o é na arte de captar momentos únicos.

Excelente.
Um abraço

Tozé Franco disse...

Não haja dúvida que os Açores são uma dádiva da natureza.
Um dia destes também vou começar a publicar as minhas fotos de lá (S. Miguel e Pico)pois é bom ter tantas visitas dos Açores.
Por falar nisso, onde é que anda o Marcos Couto?
Um abraço.

al cardoso disse...

Fotografias excelentes a fazerem jus a beleza dessas ilhas.

Saudacoes serranas.

azoriana disse...

Caro Moura,
Estou neste momento (2:45 da manhã) na freguesia da Serreta para as festas que se aproximam. É tempo do novenário que antecede a festa propriamente dita.
Mas tenho que dizer-te isto... o cheiro invade a cozinha e o quarto onde estou... é o cheiro a alcatra acabadinha de sair do forno de lenha. Estão com uma cor excelente. São as verdadeiras e tradicionais Alcatras da Serreta, e mais propriamente da minha irmã que é uma excelente cozinheira.
Quando eu conseguir mostro-lhe as imagens que captei.
É pena não as provar mas quem sabe da próxima vez que vier à ilha Terceira isso seja possível.
Abraço

Moura disse...

Da próxima vez que for até aí...não falhará uma alcatra da tua irmã! O pior é a falta de tempo e "tempo"...
Aproveita as tuas férias na Serreta que tanto gostas!
Um abraço

azoriana disse...

E dos céus caem rabiscos de foguetes... sinal de que terminou a tourada à corda da Quarta-feira, penúltimo dia das Festas.
Já começo a sentir uma nostalgia por ver que a "dança da alegria" está quase no fim. É que nestas festas dancei com um grande amigo serretense, inclusive na ida ao "Mato" buscar os toiros, escolhidos a capricho.
Aqui, na Serreta, sou feliz!