20 de dez de 2006

Inflexão ou Dedução ?

Este post aparece num contexto que parece não ser o dele...tirando mesmo o seu autor!!! Não é do "Arqueólogo-Moura" mas sim do "Moura dos Exames"... e saiu hoje no Diário das Beiras mas numa versão mais reduzida dado o espaço de "opinião" disponível.

No passado dia 7, entre as 10 horas e as 10.30, por todo o território nacional os alunos do 12º ano de escolaridade iniciaram a realização do Teste Nacional Intermédio de Matemática. Dada a forte adesão ao projecto dos testes nacionais, no ano lectivo passado, o Ministério da Educação achou por bem repetir a experiência com o objectivo de familiarizar os alunos com a situação de Exame. Aquele exame que tem sido nos últimos anos um verdadeiro quebra-cabeças para os alunos, professores, correctores, encarregados de educação…enfim, todos aqueles que directa ou indirectamente estão envolvidos no processo!
Estando de certa maneira envolvido no processo, desde o início dos Exames Nacionais nos moldes em que os conhecemos hoje, acabo por dar comigo muitas vezes a reflectir sobre esta “tragédia nacional”, que são os catastróficos resultados atingidos ano após ano!
Não é difícil adivinhar os títulos dos jornais e as aberturas dos noticiários radiofónicos e televisivos. Os próprios astrólogos parece-me que nem adiantam nada sobre este tema pois acabavam por se descredibilizar sobre as suas capacidades de profetizarem algo.
E ano após ano a mesma coisa. Parece que os professores não aprendem com os erros e os alunos são sempre na ultra maioria fracos, e conclui a opinião pública que o sistema de ensino está cada vez pior! E a certa altura temos o famoso efeito Pigmaleão a pairar sobre nós e começamos a acreditar nesta falácia. O Ministério da Educação parece fazer como a avestruz, mete a cabeça debaixo da terra e a comunicação social trata do resto arranjando um fácil bode expiatório: alunos e professores. As pessoas começam a não ficar surpreendidas, tal como as notícias de que o preço dos combustíveis vai aumentar e o deficit não se consegue baixar, resignam-se a este triste fado.
E chegamos ao já referido dia 7 deste mês e somos confrontados com um “Teste Nacional” que nada tem a ver com o que tínhamos visto até agora! Um teste que se apresentou com um grau de dificuldade normal, no qual os alunos obtiveram resultados mais consentâneos das suas verdadeiras capacidades. É verdade! As notas foram muito razoáveis para não dizer boas. Por isso não deu notícia! Será?
O que terá acontecido? O Gave percebeu que parte do problema está em querer fazer a triagem dos alunos por meio de exames com um grau complexidade maior? Ou então, devem ter olhado aqui para o lado e constatado que os nuestros hermanos aplicando exames “normais” acabam por colocar os alunos num plano de igualdade muito maior. Qualquer dia estamos a fazer os Exames Nacionais apenas numa semana e apenas com uma fase única como eles, o que colocaria ainda mais em plano de igualdade os nossos alunos. Seria ouro sobre azul, ou alguém acredita que é possível fazer dois exames, para duas fases, perfeitamente iguais? Em muitos casos a discrepância é assustadora levando-nos a ter a sensação de que determinado aluno foi penalizado por ter optado por uma das fases. Por outro lado, as duas fases, levam alguns alunos a irem na “desportiva” ver como é o exame da primeira fase já que desde há muito planificaram os seus estudos para o realizar apenas na segunda fase. E lá aparece a publicação dos rankings com a prestação dos alunos na primeira fase!!! Que prestação? A dos que estudaram a sério ou a dos que foram ver como paravam as modas? E a comunicação social nem se apercebe, a opinião pública por ela formada também não e provavelmente o Ministério também alinha nesta deturpação na análise dos resultados.
Estaremos perante uma indução ou uma inflexão? Sendo mais preciso, este Teste Nacional de Matemática será fruto de uma mudança no GAVE após terem percebido que elaborar relatórios de avaliação sobre os serviços prestados e os resultados da tal ultra maioria parecidos não leva à melhoria dos mesmos, ou não passará de um sonho que acabará por induzir os alunos em erro até ao dia do Exame Final de Matemática?
A ver vamos…pelo menos até 15 de Março, altura em que se realiza o 2º Teste Nacional Intermédio de Matemática.

Posted by Picasa

8 comentários:

Lúc poems disse...

Gostei do modo como focaste este assunto. Afinal tudo o que acontece não deve resumir-se aos resultados ou a cabeçalhos. Deve ser analisado e observado no seu contexto para que seja compreendido e se for preciso há que modificar! Assim se evolui!

Por outro lado, de facto as coisas menos positivas parecem vulcanizar-se mais facilmente do que os aspectos positivos... porque será? Será porque o dramatismo atraí mais as audiências?

PS1: Não tenho qq ligação ao CAIC. Gosto sim, muito de apreciar música!
PS2: Deixo um convite para uma brincadeira no meu blog! :)

Jokas

Maria disse...

Só digo que a foto é linda!!!

manuel maria disse...

vim desejar santo natal

Tozé Franco disse...

Espero bem que não andem a criar falsas expectativas aos alunos.
Já fizeram asneira ao acabar com os exames de programa antigo quando se esperava, de acordo com a legislação, que durassem até 2008/09. Lá arranjaram um artimanha legal para acabar com eles.

Badala disse...

Hoje estás de parabéns, ou estou confundida?
Beijinhos

manuel neves disse...

Viva!
Pois gostei do que li. Em Portugal temos a mania de sermos mais papistas que o Papa, chegamos ao ponto de esquecer a normalidade e pensar só na bestialidade; queremos o telhado sem os alicerces ... mal!!
Só fico na dúvida em relação à importância que agora se dá aos ranking's. Posso estar errado mas na última reunião que tive no CAIC fiquei com a sensação que anda tudo muito preocupado com o ranking. Será assim tão importante? Mas o ranking nao vale apenas o que vale? Para ter um outro valor não teria que ser analisado segundo as mais variadas perspectivas e noemadamente com um estudo sociológico da população estudantil e do meio em que está inserido? Será o mesmo estudar no D. Maria e na C+S da Pampilhosa da Serra? Talvez... fico na dúvida.

Um Grande Abraço
Um Santo Natal para si e todos os seus
CésarGonçalves

Badala disse...

Tu escreveste no meu post Folhas de Outono:
"Ainda bem que renasceste!
Eu só vou atingir esse estado...na quarta feira ao almoço!!!!!"


Pensei que celebravas algo bom, ontem. Não?

Jofre Alves disse...

Cara Moura: Boas Festas, Santo Natal e Próspero Ano Novo, são os meus sinceros votos.